Notícias

Notícias

Congresso quer mais rigor contra irregularidades no trânsito 

A Lei Seca já está mais rigorosa para quem bebe e dirige. O motorista responde por infração gravíssima e pode ter até a carteira cassada por um ano. Agora o Congresso quer aumentar o rigor para ultrapassagens perigosas, pegas e para quem falar ao celular dirigindo.

As multas dispararam nessa infração. Mais rigor contra motorista irresponsável, e o Congresso tem o apoio do governo na apresentação dos projetos: endurecer ainda mais a lei para tentar reduzir o número de acidentes e mortes. A dúvida, levantada por especialistas, é se adianta aumentar a punição sem campanhas educativas ou sem aumentar, também, a fiscalização. Madrugada em Brasília: carro e moto participam de uma disputa perigosa e ilegal. Fazer pega ou racha é infração gravíssima de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro.

Os jovens, que se reuniram em um estacionamento para participar de um pega na sexta, foram para a delegacia. Podem perder a carteira de habilitação, pagar multa e serem condenados a até dois anos de prisão. Um projeto de lei aprovado na Câmara aumenta a punição para quem participar de rachas. A multa passa de R$ 573 para R$ 1915,54, e dobra se houver reincidência no prazo de um ano. No caso de lesão corporal grave, o motorista pode pegar de 3 a 6 anos de prisão. Se houver morte, a pena fica entre 5 e 10 anos. A proposta também prevê mais rigor se o motorista for flagrado fazendo ultrapassagem perigosa em acostamento, curvas ou túneis.

Entre janeiro e março, 4.547 motoristas foram multados por esse tipo de infração no Distrito Federal. “O trânsito infelizmente mata muito no Brasil. Nada melhor do que a prevenção, a fiscalização e o ajuste das sanções administrativas”, afirma o secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça Gabriel Sampaio. O Congresso também quer aumentar a punição para quem dirige e fala ao celular ao mesmo temo. Só nos três primeiros meses deste ano, o Detran de Brasília flagrou e multou 9,8 mil motoristas que usavam celular, quase o dobro do número de multas aplicadas no mesmo período do ano passado. Além de perder habilidade por dirigir só com uma das mãos, o motorista que fala ou manda mensagens de texto pelo celular fica disperso, desatento. E o que dizer de uma mulher que fuma, toma cerveja e fala no celular enquanto dirige? Para o diretor do Instituto de Segurança no Trânsito, David Duarte, mudar a lei é importante. “De um lado a fiscalização, mas de outro, cada pessoa precisa se cuidar. Para fazer isso é preciso que o governo veicule campanhas de conscientização e educação para o trânsito”, afirma. O projeto de lei que torna mais rigorosas as punições para quem participa de rachas já está no Senado, na fila para ser votado.

Fonte: Globo.com

Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']