• Tecnodata Reciclagem CNH

Notícias

Instrutor e CFC

Donos de autoescolas protestam contra simuladores em AL 

Donos de autoescolas protestam contra simuladores em AL

Simulador em autoescolasProprietários de aproximadamente 35 Centros de Formação de Condutores (Autoescolas) realizam nesta sexta-feira, 24, um protesto em frente ao Palácio República dos Palmares contra a obrigatoriedade da aquisição de Simuladores de Direção Veicular para habilitação na categoria “B” (automóveis e comerciais leves). Segundo os manifestantes, o prazo para a implantação dos simuladores se encerra no dia 10 de novembro, conforme determinação do Detran-AL, no entanto, até o momento muitos donos de autoescolas aguardavam que a decisão fosse revogada.

Nesta quinta-feira, o grupo procurou o Alagoas24Horas para denunciar que está com dificuldade de implantar as aulas nos simuladores devido ao alto custo. “Além de comprar o equipamento no valor de R$ 40 mil, ainda temos que preparar uma sala especial: climatizada, com acústica e computador”, reclama o proprietário de uma autoescola de Marechal Deodoro.

Os donos de autoescolas voltaram a destacar que o investimento resultará em um reajuste no valor cobrado pelos CFCs. Ou seja, se atualmente as autoescolas cobram aproximadamente R$ 500 pelas aulas, poderá cobrar até R$ 1300, sem contar a taxa do Detran. “Qual é o alagoano que vai pagar mais de 1500 para ter uma habilitação”, criticaram os empresários.

Uma preocupação do grupo é com a mudança de governo. “Imaginem se depois que o novo governador assumir decida que volta a ser facultativo adquirir o simulador? Teremos perdido nosso dinheiro e o equipamento se transformar em apenas um brinquedo, como já ocorre em Recife”, desabafa Neto da Autoescola de Marechal Deodoro.

Sobre resolução do Contran

O objetivo é utilizar a tecnologia para qualificar a formação de novos condutores e ter mais segurança no trânsito.

Conforme estabelecido pelo Contran, a simulação na prática de direção veicular deverá ser ministrada em equipamentos homologados pelo Denatran, sob a fiscalização dos órgãos executivos estaduais de trânsito e do Distrito Federal.

Fonte: Alagoas 24 Horas


Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *