Trending News

Notícias

Notícias

Estudo reforça a importância da cadeirinha para as crianças 

Estudo reforça a importância da cadeirinha para as crianças
A Resolução 277 do Contran determina que as crianças menores de dez anos devem ser sempre transportadas nos bancos traseiros dos veículos usando individualmente cinto de segurança. Foto: Arquivo Tecnodata.

Da Redação do Portal do Trânsito

O uso das cadeirinhas de segurança para as crianças tem um único objetivo: proteger a vida dos pequenos em caso de acidente. Um estudo realizado recentemente pela Fundación Mapfre mostra que no Brasil morrem 32 crianças em acidentes de trânsito para cada milhão de habitantes de 0 a 14 anos. Grande parte dessas mortes se dá pelo não uso das cadeirinhas de segurança.

Para o autor da pesquisa, o diretor de segurança viária da Fundação, Julio Laria del Vas, existem cinco fatores que contribuem para mortes em acidentes: velocidade, álcool, falta do capacete, não uso do cinto de segurança e a não utilização da cadeirinha de retenção infantil. “A conscientização das pessoas sobre esses pontos é super importante. Precisamos de campanhas que mostrem a finalidade desses equipamentos”, fala del Vas.

O estudo apontou um dado importante, o uso correto da cadeirinha para criança diminui entre 50% e 90% o risco de lesões graves, caso o veículo se envolva em colisão.

No Brasil, o uso do equipamento só se tornou obrigatório para crianças menores de 10 anos, em 2010. “O Brasil é um países que possuem as normas técnicas mais completas para o uso da cadeirinha, se comparada à Europa”, fala Julio.

Para Celso Alves Mariano, especialista em trânsito, muitos pais ainda não adquiriram o equipamento para os seus filhos, devido a falta de percepção de risco. ” Por não compreenderem o motivo da regra e, confiantes na pouca fiscalização, pais candidatos a arrependimentos dilacerantes, abrem mão de um recurso comprovadamente eficaz para a segurança de seus próprios filhos, em nome de uma economia desastrosa, literalmente. É como deixar de vacinar, de dar banho ou de alimentar melhor sua prole. Às vezes é só ignorância, noutras, pura teimosia, o que era de se esperar das crianças, não de seus pais”, avalia Mariano.

Bebê conforto ou Conversível

Deve ser utilizada por crianças com aproximadamente 1 ano de idade ou no máximo de 13 kg.

Posição: nesse tipo de assento a criança deve estar de costas para o movimento sempre no banco de trás.

Nesta posição a coluna cervical do bebê estará protegida em caso de acidente.

Para esse tipo de cadeirinha é recomendado usar clipe de segurança para melhor fixação do equipamento, evitando que o mesmo se movimente.

Cadeira de segurança

Crianças com idade superior a 1 ano e entre 9kg e 36kg deverão utilizar o dispositivo de retenção, a cadeirinha.

Posição: voltada para frente, na posição vertical. Dependendo do fabricante da cadeirinha, o cinto de segurança do carro é que protege a criança.

Diferente de outros modelos que possuem cinto próprio, o dispositivo do carro serve apenas para fixar a cadeirinha ao banco.

 

 

 

Assento de elevação ou “booster”

É para as crianças que tenham entre 15kg e 36Kg e aproximadamente de 4 a 10 anos de idade.

Posição: o dispositivo só pode ser utilizado no banco de trás com o cinto de três pontos. O assento de segurança faz com que o cinto do carro passe pelos locais corretos do corpo da criança: pelo centro do ombro e peito e sobre os quadris. Ou seja, o cinto do carro não pode estar na altura do pescoço, pois pode machucar a criança.

Saiba mais

De acordo com o Artigo 168 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), transportar crianças no carro sem usar o dispositivo infantil de retenção veicular – a cadeirinha- é infração gravíssima, com multa de R$ 191, 54 e retenção do veículo.

Em caso de acidente grave, ou até leve, a cadeirinha deve ser descartada, mesmo que aparentemente a estrutura do equipamento esteja intacta. Pois internamente ela pode estar danificada, comprometendo a segurança da criança.

FONTE: Vrum

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *