Notícias

Mobilidade

Velocidade máxima de 50 km/h passa a ser o padrão em Curitiba 

Velocidade máxima de 50 km/h passa a ser o padrão em Curitiba

Estudos diversos do setor comprovam que a velocidade média e a fluidez no trânsito melhoram com vias urbanas em velocidades regulamentadas em 40 km/h e em 50 km/h.

A Superintendência de Trânsito (Setran) vai padronizar em 50 km/h o limite de velocidade em diversas ruas da cidade. Foto: Daniel Castellano / SMCS (arquivo)

Depois das avenidas Visconde de Guarapuava, Silva Jardim e Presidente Kennedy, a Superintendência de Trânsito (Setran) vai dar continuidade à padronização em 50 km/h o limite de velocidade em diversas ruas da cidade. A alteração já ocorreu também nas ruas João Bettega, Desembargador Westphalen e Engenheiros Rebouças.

O projeto, que iniciou em 2020, vai se estender nos próximos meses. Agora para vias como Victor Ferreira do Amaral, Júlia da Costa, Princesa Izabel e Almirante Tamandaré. Além da Ângelo Sampaio, João Negrão e XV de Novembro. Mas não serão as únicas, conforme explica a superintendente de Trânsito, Rosangela Battistella.

“Com exceção das vias rápidas, Avenida Comendador Franco e Linha Verde, as demais passarão por essa mudança. O foco é evitar e, principalmente, reduzir a gravidade dos acidentes ocasionados. Além da própria organização do trânsito”, reforça Rosangela.

A Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza (ligação do Campo do Siqueira à CIC) e a Avenida Mascarenhas de Moraes (do Santa Cândida ao Atuba) são algumas das vias que permanecerão com limite permitido de 60 km/h. A Linha Verde e a Avenida Comendador Franco continuam com 70km/h.

Tendência mundial

A força-tarefa, destaca a superintendente do órgão, possui embasamentos técnicos de engenharia da via, como geometria, demanda de tráfego e análise da acidentalidade. Estudos diversos do setor comprovam que a velocidade média e a fluidez no trânsito melhoram com vias urbanas em velocidades regulamentadas em 40 km/h e em 50 km/h.

“Ações reconhecidas mundialmente, como o Programa Vida no Trânsito (PVT), chancelado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que agora entra em sua segunda década de ação pela segurança no trânsito. E, também, o Visão Zero recomendam a adoção de redução de velocidade nas vias urbanas”, explica Rosangela.

Iniciado na Suécia e incorporado por diversas cidades ao redor do mundo, o Visão Zero no Trânsito propõe intensificar intervenções na infraestrutura viária. Além de ações de educação e de fiscalização de trânsito, de forma a minimizar consequências do erro humano.

Motocaixas

O projeto de alteração na sinalização da Avenida Victor Ferreira do Amaral virá atrelado à implantação de motocaixas entre as ruas Frei Orlando e Paulo Kissula. A sinalização que delimita espaço exclusivo para que motociclistas aguardem a abertura do sinal verde à frente dos demais veículos é outra mudança. Ela tem como objetivo garantir mais segurança e evitar acidentes envolvendo motociclistas.

Pioneira da iniciativa na cidade, a Victor Ferreira do Amaral recebeu a primeira motocaixa em frente ao Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), em 2018. De lá pra cá, o projeto foi expandido para algumas das principais vias da cidade.

As informações são da Prefeitura de Curitiba

Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *