Trending News

Notícias

Opinião

Mulheres: estatisticamente melhores na prevenção de acidentes 

Mulheres: estatisticamente melhores na prevenção de acidentes
As mulheres têm ganhado, cada vez mais, espaço na sociedade e, agora também no trânsito.
As mulheres têm ganhado, cada vez mais, espaço na sociedade e, agora também no trânsito.
As mulheres têm ganhado, cada vez mais, espaço na sociedade e, agora também no trânsito.

Destaca – se que em 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o “Dia Internacional da Mulher”, em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas apenas em 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Ainda, devemos destacar a Senhora alemã Bertha Bens como a precursora a conduzir um veículo em 1885, o que causou grande impacto.

Hoje em dia, como é de conhecimento, é comprovado estatisticamente que os menores índices de acidentes são pelas mulheres, devido a sensatez e prudência.

Vale destacar que o ditado popular “Mulher no volante, perigo constante”, não tem mais sentido. Os dados fornecidos por pesquisas, em todo o país, revelam que as mulheres no trânsito têm se mostrado mais prudentes, gentis, cuidadosas e prevenidas no volante do que os homens. Confira, agora, em detalhes o porquê destas estatísticas. Acompanhe:

Habilidade durante a condução

Segundo alguns estudiosos sobre o assunto, os acidentes de trânsito são causados por falta de habilidade dos condutores. Conforme Wickens, Toplak e Wiesenthal (2008), a experiência de condução é baseada em associações e longa aprendizagem de comportamentos automáticos, que são provocados por situações que necessitam de tempo e julgamento rápidos. Logo, as reações têm que se tornarem automáticas para que o motorista seja habilidoso.

Com um viés maior de imprudência, os homens tendem a achar que mulheres são indecisas, muito cautelosas, podendo até prejudicar o bom andamento do trânsito causando até acidentes.

Mas, por dirigirem mais atentas, e dentro da velocidade estabelecida, além de respeitarem mais as leis de trânsito, elas se envolvem quatro vezes menos que os homens em acidentes fatais, aqueles que matam pelo menos uma das vítimas.

Como profissional na área de trânsito, posso afirmar que mais de 70% dos clientes são homens, e na maioria dos casos de mulheres com pontuação excedida, habilitação suspensa, foi ocasionada por algum ente muito próximo que usa veículo em nome da mulher.

Diferenças Genéticas

Quanto à habilidade no volante, não podemos dizer que as mulheres não possuem a mesma habilidade que o homem, mas sim podemos e devemos de fato descrever que as mulheres são mais sensatas, menos imprudentes, e bastante calculistas quanto à qual tipo, situação de risco, enquanto que o homem sem qualquer medo, conduz de forma a utilizar sua habilidade em circunstâncias diferencias.

Esta percepção de que os homens “dirigem melhor” que as mulheres é equivocada, apesar dos homens parecerem possuir mais facilidade em determinadas manobras que abrangem fatores como velocidade e percepção de espaço.

Por outro lado, um estudo encomendado por uma rede de estacionamentos britânica concluiu que apesar de demorar mais para estacionar, as mulheres deixam seus carros melhores estacionados que os homens. O fator determinante para isso é que elas possuem mais paciência.

Estatística da imprudência

A prudência feminina no trânsito já está tão comprovada, que as seguradoras criaram planos especiais para elas, que custam de 10 a 30% menos que para os homens, pois as motoristas se envolvem, em sua maioria, em acidentes pequenos sem muita gravidade. Ao contrário, os homens se envolvem mais em acidentes fatais. De acordo com o DENATRAN (Departamento Nacional de Trânsito) a cada 100 condutores que morrem em acidentes, 97 são homens.

Tudo isso, tem mostrado que as mulheres têm ganhado, cada vez mais, espaço na sociedade e, agora também no trânsito.  E, todas essas habilidades femininas são fundamentais para a condução de veículos no trânsito caótico e congestionado, que enfrentamos nas grandes cidades.

Por todo o exposto, PARABÉNS ÀS mulheres pelo sua semana, suas conquistas e sua prudência quando no volante para condução do veículo!!!!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *