Notícias

Opinião

Uma ótima notícia: Diretrizes Nacionais da Educação para o Trânsito 

Já podemos comemorar outro avanço no que diz respeito à educação de trânsito nas escolas brasileiras: a Portaria 147 de 02 de junho de 2009, que aprova as Diretrizes Nacionais da Educação para o Trânsito na Pré-Escola e no Ensino Fundamental. A finalidade destas diretrizes é orientar a prática escolar voltada ao tema trânsito, oferecendo aos professores da pré-escola e ensino fundamental a “oportunidade de desenvolver atividades que tragam à luz a importância da adoção de posturas e de atitudes voltadas ao bem comum; que favoreçam a análise e a reflexão de comportamentos seguros no trânsito; que promovam o respeito e a valorização da vida”. As diretrizes trazem conceitos e diferentes sugestões de como ensinar sobre trânsito nestes dois níveis de ensino. No caso da pré-escola as crianças aprendem por meio de brincadeiras, música, arte, contação de história, passeios, entre outros. As diretrizes enfatizam ainda temas importantes como a “prevenção de acidentes de trânsito e o autocuidado e identificação de riscos de acidentes de trânsito em ambientes próximos”. Já no Ensino Fundamental, o assunto trânsito entra como tema transversal ao currículo. Não se trata de uma disciplina isolada, mas sim um tema incluído nos conteúdos já existentes. Por exemplo, para os anos iniciais (1º ao 5º ano) deve haver o estudo dos lugares, a cidade, o direito de ir e vir. Para os anos finais (6º ao 9º ano), deve haver o estudo da linguagem do trânsito, segurança e convivência social no trânsito. As diretrizes dão orientações didáticas para as áreas como Trânsito e Língua Portuguesa, trânsito e matemática, Trânsito na história, etc. De maneira geral, os objetivos destas Diretrizes são “priorizar a educação para a paz a partir de exemplos e desenvolver posturas e atitudes por meio do trabalho sistemático e contínuo. Além disso, pretende superar a idéia de educação de trânsito voltada apenas ao preparo do futuro condutor. A proposta engloba o envolvimento da família e da comunidade nas ações educativas, contribuindo para mudanças do quadro de violência no trânsito. Além disso, pretende criar condições para que os alunos percebam-se como agentes transformadores do espaço onde vivem. Acredito que este grande passo pode realmente mudar a realidade do trânsito brasileiro a médio e longo prazo. Vamos acompanhar e torcer! Aguardo o seu comentário.

Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *