Notícias

Opinião

Volta às Aulas: cuidado! 

Volta às Aulas: cuidado!

Nesta semana, em quase todo país, começa o retorno das atividades escolares. É, sabidamente, uma época de grandes conflitos no trânsito. As cidades ficam agitadas, inchadas e complicadas. O aumento da frota de veículos em circulação é da ordem de 30%. Para quem já convive com um trânsito complicado isso pode significar ultrapassar o limite da fluidez confortável, da funcionalidade desejada e até mesmo da segurança mínima necessária. É mais stress e mais situações de risco, para todos.  Quanto ao stress, não há muito o que fazer. Teremos mais pais ainda descobrindo o caminho para levar e buscar seus filhos, mais veículos do transporte escolar circulando, mais estudantes de bicicleta e à pé, indo e vindo, e muita muvuca no entorno das escolas. E em julho, tem outro Volta às Aulas, menos turbulento, mas com as mesmas características. Este do início do ano é sempre o mais crítico pois, além do intervalo mais longo promover uma maior euforia e expectativa na cabeça das crianças, há sempre um grande contingente de crianças que estão iniciando a vida escolar ou que trocaram de escola. Mesmo com um certo escalonamento de datas – algumas escolas de Educação Infantil reiniciaram na semana passada e até meados de março ainda haverá escolas retomando suas aulas – o movimento nas ruas e os riscos aumentam muito e o jeito é se conformar e redobrar a atenção. Para quem não tem filhos em idade escolar, pode parecer apenas um aumento inexplicável da complicação do trânsito. Uma espécie de loucura geral antes do carnaval. Mas para pais e responsáveis, tanto os que levam os filhos até a porta da escola, quanto os que os embarcam em vans e ônibus, o trânsito desta época do ano é um importante fator adicional de stress. Muitos estão tão nervosos e preocupados em entregar seus filhos aos cuidados da escola que, muitas vezes, também não percebem que não são os únicos a passarem por isso: é comum pais que reduzem a velocidade apenas quando chegam próximos da escola do seu filho, depois de passarem à toda por várias outras escolas no caminho. Ninguém quer nem pensar em acidentes envolvendo crianças e, menos ainda, imaginar a possibilidade de ser o causador de um acidente e responsável por ferimentos ou morte de algum estudante. Então, cuidado! Muito cuidado. Condutores distraídos deveriam conhecer melhor os ciclos de intensificação de tráfego em suas cidades e se prepararem para este momento. Também ajudaria muito se os veículos de comunicação divulgassem mais estas informações de inquestionável utilidade pública. Mas o que se vê é muita gente surpreendida com o excesso de veículos, reclamando muito de tudo, sem paciência, sem disposição para colaborar e, o pior, sem perceberem o aumento potencial de riscos de acidentes, especialmente de atropelamentos. A Alessandra Françóia, Coordenadora  da ONG Criança Segura, me contou que a concentração das ocorrências de acidentes de trânsito envolvendo crianças é maior, justamente, nesta época do ano. Motivo mais do que suficiente para dedicarmos especial atenção para ações educativas e de sensibilização. Em Curitiba a SETRAN preparou uma operação em estreita parceria com a Secretaria Municipal de Educação e com o DETRAN/PR, além do apoio da ONG Criança Segura. Leia aqui.

Artigos Recomendados Para Você

Deixe um comentário

Campos obrigatórios *