Notícias

Ensinando a aprender

“O instrutor de trânsito é tão importante quanto o bombeiro”, opina especialista. Entenda o porquê! 

“O instrutor de trânsito é tão importante quanto o bombeiro”, opina especialista. Entenda o porquê!
Foto: Depositphotos

Saiba quais requisitos técnicos e comportamentais para desempenhar a atividade de instrutor de trânsito, que pode salvar vidas.

Instrutor de trânsito
Foto: Depositphotos

O processo para obter a primeira Carteira Nacional de Habilitação (CNH) conta com um personagem fundamental: o instrutor de trânsito. O profissional acompanha o candidato durante toda a carga horária teórica e prática, e é essencial para a formação dos futuros condutores.

O exercício da atividade envolve, além de conhecimento técnico sobre legislação de trânsito, diversos fatores, como didática, psicologia e habilidade com relações humanas, pois cada aluno chega aos Centros de Formação de Condutores (CFCs) com sua própria visão e expectativas sobre o trânsito e a direção.

O Portal do Trânsito conversou com Anna Prediger, especialista de trânsito, instrutora e coordenadora na formação de instrutores no Centro de Ensino Técnico de Trânsito (Centec), para entender o que é necessário para se tornar um instrutor e desempenhar a função com excelência.

Requisitos para ser instrutor de trânsito

A atividade de instrutor de trânsito foi regulamentada pela Lei nº 12.302, de 2010. Na época, uma das exigências era de que o instrutor deveria ter pelo menos dois anos de efetiva habilitação legal para a condução de veículo e, no mínimo, um ano na categoria D.

Esse requisito dividiu opiniões, sendo considerado dispensável, especialmente porque muitos profissionais ministravam somente aulas teóricas, ou aulas práticas nas categorias, “A” e “B”, para motocicletas e automóveis, respectivamente. Portanto, não havia necessidade de possuir habilitação na categoria “D”, que permite o transporte de veículos que acomodem mais de 8 passageiros: ônibus, micro-ônibus e vans.

Quase 10 anos depois, em 2019, a Lei nº 13.863/19 alterou a regulamentação e excluiu a exigência da categoria D.

Hoje, para exercer a atividade de instrutor, o cidadão deve ter mais de 21 anos, ser habilitado há no mínimo dois anos, ter ensino médio completo e o curso de capacitação específico para a atividade, em uma das entidades de ensino credenciadas pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Além disso, não pode ter tido a CNH cassada e nem ter cometido nenhuma infração de trânsito de natureza gravíssima nos últimos 60 dias. Sobre isso, Ana diz que, apesar de ser uma das exigências, nunca viu o Detran bloquear um instrutor por conta da infração. Isso porque ele pode entrar com defesa e recursos estabelecidos por lei. Durante o tempo de recurso, a infração não será imposta.

Atuação do instrutor de trânsito

A especialista aponta o período na autoescola como sendo decisivo para a mudança de comportamento do futuro condutor.

“A pessoa chega a um CFC com uma visão de trânsito. E muitas das vezes esse é o único momento para se resgatar aquele futuro condutor ou infrator, através da conscientização. Não é fácil, mas é gratificante quando você percebe que aquela pessoa não está saindo como entrou. Isso faz toda a diferença para salvar vidas. O instrutor é tão importante quanto o bombeiro, porque ele ajuda a evitar a ida do bombeiro a um sinistro de trânsito”, declarou.

Questionada sobre as deficiências da atividade no país e o que pode ser feito para extrair ao máximo o potencial do instrutor, Ana diz que é preciso que os instrutores se reinventem nos métodos didáticos. Além disso, passem a relacionar melhor a legislação com a prática, dando exemplos das principais situações vivenciadas por um condutor no dia a dia.

“Certamente sempre podemos melhorar, quem acha que está bom não faz nada para sair do lugar. Não sei se seria correto dizer que falta um ensino superior, acredito que uma pessoa com ensino médio também consegue se dedicar ao trabalho. Posteriormente ela pode se capacitar ainda mais, pois o amor pelo trabalho faz com que queiramos aprender mais”, opina a especialista.

Ela ressalta, ainda, que o trabalho ainda exige muita paciência e dedicação, para acreditar na boa formação de condutores. Esse é um passo essencial para ajudar a salvar vidas no trânsito.

 

Artigos Recomendados Para Você

5 Comentários

  1. Marco Tulius

    Trabalho do Instrutor de Trânsito:

    45 horas Técnico Teórica. 20 horas práticas.
    Aí vem um Examinador do Detran, avaliar o aluno candidato, numa prova que dura cinco minutos. Sem fundamento, isso!

    1. Ewerton Freitas

      E você acha que não é suficiente? se você liberou o aluno para exame acredito que ele está apto. Acho mais importante o trabalho do instrutor do que o de examinador, tanto é que quando o instrutor vai dar a primeira aula já sabe se o aluno tem noção de direção e assim acredito que seja o trabalho do examinador “ver se tem domínio do veículo porque o instrutor já ensinou tudo o que é necessário para o aluno conduzir”.

  2. Wallif Guedes

    Sou instrutor de trânsito e estou na atividade até então.
    Precisa-se ter um ajuste, primeiramente no curso de instrutor.
    Logo depois, no próprio curso ministrado nos CFCs. Dando mais autonomia para a classe de profissionais. Alguns CFCs exploram esse profissional com várias hora/aula chegando a cair a qualidade do ensino e didática e quem sai prejudicado com isso é o candidato a primeira CNH.
    Órgãos fiscalizadores precisam atuar mais e mais em CFCs credenciados pelo órgão.

  3. Valmir Ribeiro Ferreira

    Verdade, que essa avaliação feita pelo examinador do Detran, acaba sendo mal feita, uma vez que o examinador não acompanhou o processo de Aulas práticas do candidato durante o curso de formação do candidato. No meu estado que é o Amapá, é pior ainda, por quê, os Examinadores são preparados e formados com um curso de duração de duas semanas, ou se já a, curso relâmpago, e não fazem nenhum estágio; Enquanto que o meu curso de Instrutor e Examinador durou dois meses e cumpri dois estágios em centros de formação de condutor. Oi s Examinadores do Detran-Ap, são colocados pra examinar às provas práticas sem terem uma qualidade na sua formação. Tudo por causa, de uma política suja praticada pelos órgão governado por gestões públicas, que visam somente Oi lucro com reprovações de candidatos há terem uma habilitação. No Amapá, nós os Instrutores achamos que é o pior trânsito do Brasil; mesmo com todo nosso esforços em melhorar o aprendizado dos candidatos há primeira habilitação. Examinar provas no Detran do Amapá, é um faz de contas.

  4. Jair

    Tão importante
    quanto bombeiro???
    Que comparação sem nexo, pois quando acionamos o bombeiro é sinal que o local já está em chamas, ou seja o acidente já está concluido, vamos pensar a pessoa aprende precariamente dirigir o veiculo e é aprovado, sem a mínima noção e malícia do transito aí terá um ano a carta provisória para aprender sozinha na rua fazendo artes, ai que mora o perigo. Despreparo total.

Deixe um comentário

Campos obrigatórios *

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']