Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

16 de julho de 2024

Contag vai negociar derrubada de veto sobre registro de tratores


Por Mariana Czerwonka Publicado 21/05/2014 às 03h00 Atualizado 08/11/2022 às 23h12
Ouvir: 00:00

Licenciamento de tratoresProjeto da Câmara dos Deputados que desobriga máquinas agrícolas do registro e do licenciamento anual foi vetado pela presidente Dilma Rousseff na semana passada

A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) vai articular a derrubada do veto presidencial ao projeto que dispensa máquinas agrícolas de registro e licenciamento veicular. A proposta, que é de autoria do deputado Alceu Moreira (PMDB-RS), foi vetada pela presidente Dilma Rousseff na semana passada.

Atualmente, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB – Lei 9.503/97) dispensa apenas os veículos das Forças Armadas de registro, licenciamento e placa. Uma resolução de 2008 (Resolução 281/08) do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) regulamentou a necessidade do registro dos veículos agrícolas. No ano passado, uma outra resolução (429/13) estabeleceu a obrigação de placa de identificação em equipamentos agrícolas, pois a eles é permitido transitar em via pública, mesmo que em pequenos trechos.

O secretário de política agrícola da Contag, David Wilkerson, defende uma distinção entre grandes agricultores e agricultores familiares. Defende, ainda, que o licenciamento tenha um prazo maior para ser renovado.

“Seria razoável se houvesse uma regulamentação que exigisse dos agricultores um recadastramento ou até o pagamento numa periodicidade maior, a cada quatro anos, por exemplo. Mas não anualmente, porque isso implica em custo para o agricultor familiar. A gente estima em mais de 3% o aumento de despesa pra ele”, disse Wilkerson.

Numa audiência pública recente no Senado, palestrantes afirmaram que uma colheitadeira, que custa até R$ 700 mil, pode passar toda a sua vida útil sem transitar em via pública e atualmente é obrigada a ser licenciada anualmente.

O deputado Alceu Moreira concorda com a entidade. Ele lembra que muitos produtores compram tratores e outros veículos agrícolas usados, com muitos anos de serviço e documentação extraviada.

Justificativa
Como justificativa para vetar o projeto, a presidente Dilma usou pareceres de três ministérios, que alegam falta de precisão no conceito trazido pela proposta sobre veículos automotores destinados a executar trabalhos agrícolas, o que impossibilitaria determinar com clareza que máquinas seriam objeto da dispensa do registro e do licenciamento anual.

O veto presidencial será analisado agora no Plenário do Congresso (sessão conjunta de deputados e senadores). Para derrubá-lo, é preciso o apoio de 257 deputados e 41 senadores.

Com informações da Agência Câmara

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *