Notícias

Notícias

Cuidado com transporte de pets diminui risco de acidentes de trânsito 

Hoje em dia muitas famílias têm tanto amor pelos animais de estimação, que são tratados como verdadeiros filhos e, diante disso, passeiam e até viajam juntos. Mas para transportar os animais é preciso ter alguns cuidados, estar atento aos itens de segurança e à legislação.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro em seu artigo 235, fica proibido ‘Conduzir pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, salvo nos casos devidamente autorizados’ e o motorista está sujeito a infração grave. Já o artigo 252 diz que é infração grave dirigir o veículo ‘transportando pessoas, animais ou volume à sua esquerda ou entre os braços e pernas’.

Segundo o gestor em segurança, Vagner Ferreira, transportar o animal solto no veículo pode trazer vários riscos. “O animal involuntariamente pode atrapalhar na condução do veículo, provocar a perda do controle, ocasionando grave acidente, além de machucar o animal com o impacto, pode causar danos à integridade física tanto do motorista, quanto de outras pessoas que possam estar no veículo”, diz.

O gestor explica ainda que existem cintos de segurança apropriados para animais, além de caixas para transportar animais, “cuidados que são importantes para segurança do motorista, do animal e também de outras pessoas”, afirma. “Como sabemos, o animal de estimação acaba fazendo parte da família, então considere isso realmente e tenha o mesmo cuidado como se fosse uma pessoa de sua família”, diz.

Atualmente no mercado pet existem vários equipamentos que podem ser usados para dar mais segurança na hora de transportar o animal de estimação. Segundo a vendedora Letícia Contato, existe um equipamento que pode ser acoplado ao cinto de segurança e o animal segue no banco traseiro, mas tem liberdade de se mexer no veículo, existem as caixas de transporte, essas totalmente fechadas e são usadas principalmente em aviões, há ainda as mais usadas, que são o cadeirão. “Este prende totalmente o animal e é como se fosse uma cadeirinha de criança mesmo, o equipamento fica preso no carro e o animal fica dentro com cinto de segurança”, explica Letícia.

Esses tipos são indicados para animais de pequeno porte com até no máximo dez quilos. Segundo ela, a procura por equipamentos de segurança para transportar os animais aumenta em vésperas de feriado, quando a família pretende viajar. “Não importa o método que use, desde que ele esteja confortável, pois se ficar muito justo atrapalha”, diz. Letícia conta que as pessoas querem que o animal fique junto, “hoje o pet é um membro da família e, por isso, as pessoas querem mantê-lo dentro do carro e não mais separado, por isso a necessidade de levá-lo com uso de equipamentos adequados”, finaliza.

Fonte: Jornal Cidade


Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *