Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

16 de julho de 2024

Cuidados simples para conservar o catalisador


Por Talita Inaba Publicado 30/07/2013 às 03h00 Atualizado 08/11/2022 às 23h33
Ouvir: 00:00

Responsável por transformar os gases poluentes e atenuar o ruído produzido pela combustão, o catalisador é uma peça fundamental nos carros e, por isso, deve ser mantido em condições adequadas de uso para não prejudicar o meio ambiente e a saúde das pessoas. “Sua inoperância ou mau funcionamento compromete o nível de gases liberados na atmosfera e também o desempenho do motor, ocasionando até perda de potência do veículo”, afirma Salvador Parisi, consultor da Tuper Escapamentos e Catalisadores.

Fatores, como falhas de ignição, motor desregulado, queima de óleo e má qualidade do combustível podem afetar diretamente a peça. “Alguns hábitos ao guiar o automóvel também prejudicam o catalisador, entre eles, fazer o carro pegar no tranco e, em alguns modelos de veículos, pancadas e raspões ao passar em lombadas já que podem fazer a cerâmica soltar”, comenta. Trincas, quebras, derretimento e entupimento da cerâmica interna também são sinais que indicam que é preciso fazer a troca imediata do catalisador, que é obrigatório desde 1992.

O catalisador atende a rigorosos testes de durabilidade, ruído, contrapressão e análise gases e possui exigência do selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO), desde 2011, para ser comercializado no país.

Fonte: Terra.com.br

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *