Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

16 de julho de 2024

Empurrar o carro pode danificar peças


Por Talita Inaba Publicado 19/06/2013 às 03h00 Atualizado 08/11/2022 às 23h36
Ouvir: 00:00

Seja pela bateria morta ou por problemas no motor de partida, quando o carro não vira a chave logo alguém aparece com aquela ideia: “vamos empurrar para fazer pegar no tranco”. Além do cansaço para quem empurra, a tentativa pode danificar peças do automóvel. Não tente. Se o carro não der a partida, chame uma empresa especializada ou leve-o rebocado a uma oficina. Fazer o motor pegar no tranco pode gerar algumas consequências graves ao veículo, observa Pedro Scopino, consultor técnico e diretor do Sindirepa, o Sindicado dos Mecânicos de São Paulo. “Pode quebrar a correia dentada, pois forçará um giro com mais intensidade do motor podendo romper seu material, que é de borracha. Também pode ocorrer uma injeção maior de combustível, o que pode danificar o catalisador”, diz. Se o motor não pegar no tranco, observa o especialista, pode haver tensão nos circuitos eletrônicos do veículo. Tudo isso pode acontecer, mas seu carro pode passar ileso pela tentativa. Portanto, se o tranco funcionou uma vez e nada aconteceu, você teve sorte, não tente novamente. Qualquer uma das peças que estragar nos casos citados acima certamente saíra mais caro do que levar o automóvel a uma oficina. A tática de empurrar para pegar era mais comum antigamente nos carros com carburador. Agora há menos tentativas, especialmente porque há muitos veículos com câmbio automático, ou seja, sem embreagem. Fonte: Terra.com.br

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *