Notícias

Notícias

Estudo mostra que sinalização nas rodovias brasileiras avançou, mas esbarra na falta de investimentos 

Estudo mostra que sinalização nas rodovias brasileiras avançou, mas esbarra na falta de investimentos
Foto: Agência CNT de Notícias.

Publicação Transporte Rodoviário – Sinalização, da CNT, caracteriza a sinalização viária e traz recomendações de melhorias para tornar as vias mais seguras para os usuários.

Sinalização nas rodovias
Foto: Agência CNT de Notícias.

A CNT (Confederação Nacional do Transporte) lançou, no mês passado, o estudo Transporte Rodoviário – Sinalização. A publicação caracteriza a sinalização das rodovias brasileiras, destacando as suas condições e os aspectos de padronização. Apresenta a evolução das condições da sinalização viária no Brasil, com dados e informações da Pesquisa CNT de Rodovias, e os relaciona à implantação de programas de manutenção e melhoria dessa variável em rodovias federais. O estudo também traz recomendações para o aprimoramento do seu desempenho.

Acesse aqui o estudo Transporte Rodoviário – Sinalização

Acesse aqui o resumo do estudo

De acordo com a publicação, ao longo da vigência do BR-Legal – Programa Nacional de Segurança e Sinalização Rodoviária, houve nítidos avanços na avaliação geral da sinalização nas rodovias federais públicas. Considerado o período entre o início do programa e o ano de 2019, houve, em média, uma melhora de 17,8 pontos percentuais nos trechos rodoviários onde houve intervenções do BR-Legal, passando de 39,7% para 57,5% de avaliação positiva – segundo os resultados da última Pesquisa CNT de Rodovias.

O programa também inovou na forma de licitar, na atribuição de responsabilidades às contratadas e na metodologia das soluções a serem empregadas. Cabe ressaltar, porém, que há ainda trechos de rodovias em condições inadequadas de sinalização e que oferecem riscos aos usuários.

Para o presidente da CNT, Vander Costa, as condições da infraestrutura das rodovias têm relação direta com a segurança.

“Reconhecemos que, nos últimos anos, houve avanços com o BR-Legal, mas ainda há muito o que fazer. Precisamos de mais investimentos, mais fiscalização e projetos e contratos mais bem estruturados para que nossas rodovias tenham seus níveis de qualidade aprimorados.”

Problemas de fiscalização e de execução

O estudo da CNT verificou que, apesar de a União ter investido no BR-Legal valores superiores aos dos programas que o antecederam,os montantes executados representaram apenas 63% do previsto.

O estudo, ainda, compilou achados de auditorias ao programa BR-Legal realizadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pela Controladoria-Geral da União (CGU). Os relatórios desses órgãos indicam que, em alguns casos, não foram contratadas empresas para realizar serviços de supervisão e gerenciamento do programa. Também há carência de pessoal e de equipamentos para realizar serviços de fiscalização.

Foram verificados também atrasos na elaboração e na entrega dos projetos básicos e executivos, com o consequente retardamento no início dos serviços de sinalização. Além disso, não houve priorização cronológica na execução de trechos concentradores de acidentes e demais pontos críticos.

As informações são da Agência CNT de Notícias

Artigos Recomendados Para Você

1 Comentário

  1. Possibilidade de retirada de radares pode incentivar comportamento de risco no trânsito - Portal do Trânsito

    […] Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender, no início do mês, a retirada dos radares em rodovias federais. De acordo com reportagem publicada pela Folha de S.Paulo, a afirmação foi feita a […]

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']