Notícias

Notícias

Identificação eletrônica de veículos pode acabar com os roubos 

Identificação eletrônica de veículos pode acabar com os roubos

Para evitar roubos

Em média, cerca de 400 mil veículos são roubados todo ano no Brasil. Esse montanto é maior que a produção anual das três maiores fabricantes automotivas no país. O desenvolvimento de uma solução completa para identificação eletrônica de veículos pode dar fim ao problema. A Intel apresentou um produto similar ao conhecido sistema Sem parar para pedágios, em parceria com a empresa AutoFind, que será responsável pela fabricação e comercialização. Esse é o primeiro produto da empresa de tecnologia desenvolvido exclusivamente para o Brasil. Um transponder com tecnologia RFID (comunicação por radiofrequência) será implantado no veículo e fornecerá informações diversas a uma central, numa espécie de Big Brother de carros. O objetivo é facilitar o controle e fiscalização do tráfego brasileiro.

A solução é baseada na plataforma Wisp (wireless identification and sensing platform), sistema RFID desenvolvido pelo Intel Labs em colaboração com a Universidade de Washington e o Massachusetts Institute of Technologie (MIT), e adaptado para as necessidades brasileiras. Em 2011, a companhia lançou o Posto do Futuro, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. O sistema era capaz de identificar o veículo e oferecer opções de serviços personalizados para os motoristas.

Antônio Sérgio Calmon, presidente da Autofind, conta que criou a empresa há quatro anos para atender exclusivamente o mercado de identificação eletrônica de automóveis. “As informações que saem hoje do transponder são muito seguras. Nesse projeto, todos os dados são criptografados. Além disso, caso a caixa receptora dos dados nas ruas seja violada, tudo que está lá dentro é destruído. Mesmo se a levarem intacta, em 24 horas ela deixa de funcionar”. Ele revela que chegou a tentar negociar com fabricantes para que novos veículos já saíssem com a tecnologia embarcada, mas elas rejeitaram veementemente.

Informações sobre a densidade de trânsito, utilização da pista e comportamento dos usuários serão alimentadas automaticamente no sistema por meio da nova tecnologia. Calmon lembra que o sistema será utilizado também para criar motivações positivas para gerenciar as vias. “Quem dirigir de forma ecologicamente correta pode acumular pontos que seriam trocados por desconto no IPVA”, diz. Calmon explica que os próprios Detrans conseguem bancar a implantação do projeto: “30% da frota paulista, por exemplo, é ilegal. Se trouxer 10% a 15% para a legalidade, já se consegue o dinheiro necessário para o investimento”, diz.

Exigência

Até junho de 2014, será obrigatória a instalação de transponder nos veículos, de acordo com o Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos (Siniav), projeto do governo brasileiro. O sistema já está implantado em Roraima e em processo nos outros estados. Cada cidade deve focar a tecnologia para um uso. Em São Paulo, por exemplo, deverá ser mais voltada para o gerenciamento do trânsito. A solução recebeu certificação da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) e já está sendo testada por operadoras de serviços de arrecadação e concessionárias de rodovias, em aplicações como pedágio eletrônico com tecnologia RFID de 915 MHz.

Fonte: Estado de Minas

Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']