Notícias

Notícias

Idosos demoram mais para reagir no trânsito 

Um estudo divulgado pelo Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, apontou que motoristas com mais de 60 anos demoram cerca de 40% a mais que os jovens para reagir a uma ação na direção de um veículo. Um simulador foi utilizado para estudar um grupo de motoristas idosos e jovens. A simulação indicou que o motorista mais velho leva cerca de 1,34 segundos para frear a partir de uma placa. Já o grupo de motoristas jovens demora cerca de 0,96 segundo para efetuar a mesma ação. Mesmo com a falha no reflexo, a pesquisa apontou também que nos últimos cinco anos os idosos que participaram da simulação não se envolveram em acidentes de trânsito e também não receberam multas. É o caso de Adélia Samarone, de Itapeva (SP), que conquistou sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) aos 52 anos. Atualmente, com 97 anos de idade, ela conta que aos 92 deixou de dirigir por orientação médica. De acordo com a idosa, ela nunca recebeu uma multa de trânsito e sequer sofreu um acidente, mas para isso alguns cuidados foram necessários. “Sempre dirigi muito devagar, ao me deparar com uma placa de sinalização tinha muito cuidado para não bater em outro carro. Muitos até reclamavam da forma como eu dirigia”, declara Adélia. A mesma pesquisa realizada pelo Hospital das Clínicas indicou que ações como troca de faixas, baliza, rampas e leitura de placas de sinalização são manobras que apresentam maior grau de dificuldade para os motoristas com mais de 60 anos. De acordo com a médica geriatra de Itapetininga (SP) Cassia Stocco o sistema muscular dos idosos fica mais comprometido com o passar do tempo, o que resulta em uma resposta mais lenta diante de uma ação no volante. “Com o passar dos anos, algumas fibras musculares acabam diminuindo, o que resulta em uma lentidão motora. Isso não é uma doença, mas sim o ciclo da vida”, explica a médica. Ainda segundo a especialista, motoristas a partir de 80 anos estão mais frágeis e vulneráveis a se acidentar. A médica orienta que há algumas atividades que os mais experientes podem realizar para tentar retardar essa diminuição de massa muscular. “Cada pessoa deve escolher as atividades que estão ao seu alcance. Caminhada e natação são ótimas opções de exercícios físicos que auxiliam no sistema motor”, orienta Stocco. Apesar das atividades que auxiliam no retardamento de falhas motoras, a médica geriatra orienta que o mais importante é que o motorista mais velho se sinta seguro de suas ações na direção. “Mesmo com vários recursos o idoso deve se sentir bem dirigindo a partir do momento que o motorista se sente inseguro é a hora de para para evitar acidentes”, conclui a especialista. Fonte: Globo.com

Artigos Recomendados Para Você

Deixe um comentário

Campos obrigatórios *

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Politica de Privacidade.

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']