Trending News

Notícias

Notícias

Mais 10 erros no trânsito que podem valer uma vida 

Mais 10 erros no trânsito que podem valer uma vida

Carro no túnelO Portal do Trânsito selecionou alguns erros de motoristas, que podem colocar a segurança no trânsito em risco. Veja a maneira correta de proceder em cada caso.

Distrair-se olhando acidentes

Manter a atenção na via é fundamental para evitar acidentes, qualquer distração pode causar uma tragédia.

Frear bruscamente

O condutor deve sempre manter a atenção no trânsito e trafegar em uma velocidade compatível com a via e com as condições adversas locais. Se precisar reagir a um imprevisto, estando dentro de uma velocidade segura e atento, o condutor poderá evitar dois acidentes: um envolvendo o risco a frente e o outro, envolvendo o veículo de trás, no caso de uma freada brusca.

Perder a calma

Alterações no estado físico e mental do condutor afetam diretamente a capacidade de dirigir com segurança. A pressa, a distração, a agressividade, a irritação, o espírito competitivo, são fatores comportamentais que influenciam diretamente o modo de dirigir. O indivíduo estressado apresenta reações inadequadas diante de situações de perigo ou tensão.

Não acender as luzes em túneis

Em túneis e situações de pouca visibilidade, é extremamente importante o uso correto do sistema de iluminação. Com pouca iluminação, fica mais difícil reconhecer objetos, avaliar corretamente distâncias e principalmente, ver e ser visto.

Subir e descer da calçada

Algumas manobras como entrada e saída de garagens e estacionamentos obrigam o condutor a subir na calçada. O problema é quando o veículo sobe no meio-fio e não exatamente na parte em que a guia está rebaixada. Com a repetição desse acontecimento é possível ocorrer vazamento de ar dos pneus e até mesmo alterar o balanceamento e a geometria do veículo. A dica é ao se deparar com a situação, manobrar corretamente o veículo para que a roda não “pegue” no meio-fio. Ao raspar ou subir em um meio-fio, o pneu poderá perder pequenos pedaços de borracha, deteriorando a parte lateral do pneu, onde a segurança é um fator fundamental. Com o tempo o pneu fica frágil e podem surgir bolhas.

Não avaliar corretamente as condições para ultrapassagens

Ultrapassagens mal feitas, aliadas ao excesso de velocidade, patrocinam os acidentes mais graves. Essa manobra é a que apresenta o maior número de variáveis a serem levadas em conta pelo condutor. Qualquer variável, quando avaliada erroneamente, pode levar a um acidente. Para ultrapassar com segurança, o condutor deve: ultrapassar somente em locais onde seja permitido, em plenas condições de visibilidade e segurança.

Atenção ao combustível

Para funcionar bem, o motor do veículo precisa de combustível de boa qualidade. Combustível de má qualidade, com água, impurezas ou adulterado, irá prejudicar o bom funcionamento e poderá até danificar o motor, colocando em risco à segurança. Outra dica é manter o tanque sempre cheio. Andar com o combustível sempre na reserva provoca o acúmulo de água dentro do tanque, o que diminui muito a qualidade do combustível afeta o desempenho do motor e pode danificar o sistema de injeção e a bomba de combustível.

Trafegar em zigue-zague

A condução agressiva, nesse caso, pode gerar estresse nos demais condutores e originar reais situações de perigo como freadas bruscas e colisões laterais. Se o tráfego está pesado, escolha uma faixa da via e tente permanecer nela.

Não utilizar corretamente o triângulo de sinalização

Sinalizar corretamente a via em caso de acidente ou pane pode evitar tragédias. O condutor deve definir o melhor local para a colocação do triângulo de sinalização. Nesse momento o motorista pode utilizar a regra de 1 metro de distância para cada km/h de velocidade da via. Por exemplo: se o limite de velocidade da via for de 60km/h, a sinalização deve ser colocada a 60 metros do acidente, mas dependendo das condições adversas presentes no local esta distância deverá ser ainda maior. Segundo a legislação brasileira, a distância mínima para sinalização em uma emergência é de 30 metros da parte traseira do veículo.

Abusar do ponto morto

O carro desengrenado fica muito solto e o freio não consegue segurar o automóvel sozinho. O motor também serve como um auxiliar ao freio do carro para manter o controle. Além disso, ao contrário do que muitos pensam, usar o ponto morto em trechos de declive não economiza combustível. A marcha engatada ajuda a segurar o carro em ladeiras seja na descida, com o carro em movimento, ou mesmo quando ele está desligado, estacionado. Além disso, marcha engrenada dá mais controle e segurança para o motorista. Nas descidas, serras e morros, o motorista conta, ainda, com o freio motor, evitando sobrecarregar o sistema de freio.

Veja aqui outros 10 erros no trânsito que podem valer uma vida

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *