Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

18 de julho de 2024

CNT faz uma análise sobre acidentes rodoviários


Por Agência de Notícias Publicado 15/03/2020 às 03h00 Atualizado 08/11/2022 às 21h52
Ouvir: 00:00
Rodovias brasileirasacidentes em trechos rodoviários com sinalização péssima têm grau de severidade duas vezes maior do que os ocorridos em locais onde a sinalização é considerada ótima. Foto: Agência CNT/Divulgação.

A nova edição do boletim Economia em Foco, da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada semana passada, analisa questões relacionadas aos acidentes rodoviários no Brasil, indicando a necessidade de melhorar a fiscalização, o policiamento e o investimento na infraestrutura de transporte.

O material mostra, por exemplo, que acidentes em trechos rodoviários com sinalização péssima têm grau de severidade duas vezes maior do que os ocorridos em locais onde a sinalização é considerada ótima.

Também revela que, entre 2009 e 2019, a quantidade de multas aplicadas pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) cresceu 93,1%, ao passo que, no mesmo período, os acidentes com vítimas caíram 8,4%.

A análise aponta que o custo econômico dos acidentes rodoviários verificado entre 2009 e 2019 (R$ 156,06 bilhões) é próximo ao volume dos investimentos públicos em infraestrutura e na manutenção das atividades da PRF (R$ 172,06 bilhões) no mesmo período.

Confira a íntegra do novo Economia em Foco

Outro dado trazido pelo boletim diz respeito ao custo econômico dos acidentes rodoviários. De 2009 a 2019, foram gastos R$ 156,06 bilhões com acidentes.

O documento também destaca a importância do trabalho de fiscalização realizado PRF nas rodovias brasileiras.

Como apresentado no estudo Acidentes Rodoviários e a Infraestrutura, de 2018, além da própria infraestrutura, existem outros elementos que contribuem para a ocorrência de acidentes rodoviários.

“O fator institucional/social é um deles e, possivelmente, um dos mais negligenciados nas análises disponíveis sobre acidentes viários. Essa omissão vincula-se à prática de atribuir culpa majoritariamente ao condutor pelas ocorrências sem, entretanto, considerar o papel das instituições de garantirem a segurança e o bem-estar social”, diz o relatório.

Conclusão

O estudo conclui que existe a necessidade de se dedicar um maior volume de recursos tanto para as ações de fiscalização, policiamento e educação de trânsito quanto para aquelas vinculadas à melhoria da infraestrutura rodoviária brasileira. Apenas com a adoção de um plano de ações bem orientado e que combine estratégias de controle e investimento, será possível, no curto prazo, dotar as rodovias brasileiras das condições adequadas de segurança.

Com informações da Agência CNT

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *