Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

13 de julho de 2024

Motoboys pedem apoio para diminuir custos da regulamentação


Por Talita Inaba Publicado 06/07/2013 às 03h00 Atualizado 08/11/2022 às 23h35
Ouvir: 00:00

Representantes de motoboys reuniram-se com os ministros Manoel Dias, Trabalho, e Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência da República. Os motoboys buscam apoio do governo federal para flexibilizar e minimizar os custos para regulamentação da categoria, que “tem encontrado dificuldade” para se adequar às regras. O presidente do Sindicato dos Motoboys do Estado de São Paulo (Sindimotosp), Gilberto Almeida, diz que a categoria apoia as novas medidas de segurança impostas pela lei, mas ressalta que essa regulamentação tem de ser padronizada. “Hoje encontramos uma série de dificuldades para nos enquadrarmos no que a lei determina.” Almeida destaca que o alto preço dos cursos de regulamentação inviabilizam maior adesão da categoria. “Os motoboys ganham baixos salários, e o curso custa de R$ 160 a R$ 300. Cerca de 5 mil representantes da categoria estão regularizados, um número muito pequeno. Deixamos ao governo nosso pedido de incentivo para trazer maior aderência ao processo de regularização e todos possam estar dentro da legalidade.” Outra reivindicação da categoria é a padronização da regulamentação. Almeida explicou que vários municípios ainda não têm a regulamentação definida ou escolas credenciadas, o que dificulta a regularização do profissional. De acordo com o Sindimotosp, há 500 mil motoboys somente no estado de São Paulo. No Brasil, estima-se em cerca de 1,5 milhão o número destes profissionais. Almeida diz que é difícil ter o número exato, porque a maior parte da categoria está na “ilegalidade”. Uma nova reunião com o ministro do Trabalho está prevista para o fim deste mês. Fonte: Exame.com.br

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *