Notícias

Notícias

Número de mortes recua 24,5% nas rodovias mais perigosas do País 

Caem acidentes em rodoviasHouve 10,2 óbitos por milhão de veículos em 2012/2013, contra 13,5 mortes em 2010/2011

O número de mortes em acidentes de trânsito caiu 24,5% nos trechos mais perigosos das rodovias federais do País nos últimos três anos, de acordo com levantamento da PRF (Polícia Rodoviária Federal), divulgado na última quinta-feira (19).

A redução é consequência da Operação Rodovida, que intensifica a fiscalização nas estradas com maior índice de acidentes.

Segundo os números da PRF, na primeira edição da Rodovida, realizada durante as festas de fim de ano da passagem de 2010 para 2011, foram registradas 13,5 mortes por milhão de veículos. Na operação de 2012/2013, o índice caiu para 10,2.

Para monitorar as estradas, o Ministério da Justiça mapeia os trechos mais perigosos, por meio de um estudo realizado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). Foram listados os cem pontos com maior número de acidente no País e, nesses quilômetros, a PRF reforça as blitze.

O principal foco da Operação Rodovida é impedir a alta velocidade nas rodovias, as ultrapassagens irregulares e a combinação de bebida alcoólica com direção. Será investido R$ 1,5 milhão na fiscalização deste ano.

A diretora-geral da PRF, Maria Alice Nascimento, afirma que o objetivo é conscientizar a população.

— Vamos colocar todos os nossos esforços para que o cidadão possa entender que deve respeitar as regras de trânsito. A família brasileira deve usar nossas estradas como vias de união e confraternização para que todos possam comemorar a vida.

Gastos

De acordo como governo, o objetivo da Operação Rodovida é a redução de mortes nas estradas, mas o foco é a redução da gravidade dos acidentes. O custo de um acidente de trânsito para os cofres públicos passa de R$ 418 mil quando há mortes.

Um acidente com feridos gera um gasto de R$ 86 mil. E no caso de acidente sem vítimas, o custo é de R$ 16.800.

O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, cuja pasta também está envolvida na Operação Rodovida, alerta que a mobilização do governo é inútil se não houver conscientização da sociedade.

— São vários ministérios integrados para o mesmo fim. O que nós queremos é reduzir o número e acidentes graves e de mortes no trânsito. Mas isso não é suficiente se não houver a adesão da sociedade.

A Operação Rodovida está nas ruas desde o dia 19 de dezembro e ficará durante todo o recesso de fim de ano, até 31 de janeiro. No Carnaval, entre os dias 21 de fevereiro e 9 de março, a operação será retomada.

Fonte: R7 Notícias

Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *