Notícias

Notícias

Sistema de travas – Fechou, e agora? 

Sistema de travas – Fechou, e agora?

Manter as portas do carro destravadas durante viagem era uma preocupação antiga, de um tempo em que não havia a parafernália de recursos eletrônicos existentes hoje nem tampouco travas elétricas. O medo era de acontecer um acidente e os ocupantes ficarem presos dentro do veículo. Com o passar do tempo e o advento das travas elétricas e, com elas, os sistemas em que as portas são travadas automaticamente depois de o veículo atingir determinada velocidade, normalmente entre os 10km/h e 20km/h, raramente se ouve falar nisso. Corroboram com isso as neuroses do mundo moderno que fazem – com razão – com que os ocupantes se sintam desprotegidos com as portas destravadas. Mas o risco acabou? Não.

Levantamento feito pelo caderno Vrum, que perguntou a 27 empresas como funciona o destravamento das portas tanto em condições normais quanto em caso de acidente, revela que poucos modelos são equipados com o sistema que detecta colisão e aciona o destravamento das portas para facilitar o resgate dos ocupantes. E, ainda assim, a grande maioria depende do acionamento dos airbags, o que significa que, em muitos casos, pode haver o acidente e as portas permaneceram travadas, necessitando que alguém faça o destravamento manual, já que em nem todo tipo de colisão os airbags se abrem. Apenas VW e Toyota responderam ter sistemas que atuam em qualquer tipo de acidente.

ESCOLHA Nos modelos Ford, o travamento automático das portas acontece acima dos 15km/h. Há, no entanto, uma peculiaridade que os diferencia dos das outras marcas. “Se o motorista não quiser que as portas permaneçam travadas, basta que destrave a sua porta pela maçaneta (ou apertando o botão destinado ao destravamento) com o carro em movimento, que depois as portas não se travarão novamente. Essa opção é dada exatamente porque algumas pessoas se sentem inseguras andando com as portas travadas”, afirma o supervisor de serviço ao cliente da marca, Reinaldo Nascimbeni.

Mas uma vez travadas as portas, em caso de acidente é preciso que os ocupantes puxem a maçaneta interna para destravar a porta e sair do carro. Somente a do motorista abre todas as portas. “Mesmo as travas sendo elétricas, é só puxar a maçaneta que as portas se abrem”, garante Nascimbeni, reconhecendo que no caso de os ocupantes estarem desacordados é preciso que alguém de fora quebre os vidros para acionar a maçaneta e abrir as portas. “Mas normalmente, num acidente de grandes proporções os vidros se já quebram”, lembra. No novo EcoSport, a Ford adota de série sistema de destravamento de portas atrelado aos airbags, ou seja, uma vez infladas as bolsas, as portas também se destravam.

Exceção que deveria ser regra, somente a Volkswagen e a Toyota responderam ter sistema que detecta colisão, destravando as portas independentemente dos airbags. No caso da VW, o pisca-alerta também é ligado automaticamente para facilitar a visão do carro, caso o acidente tenha ocorrido em local ermo. A assessoria de imprensa explica que o sistema pode funcionar de duas maneiras: por meio de um acelerômetro na carroceria que identifica a desaceleração brusca, seguida de contato com objeto; e por um detector de ruído, que identifica o som produzido pela carroceria no momento da deformação. As duas situações independem de acionamento de airbags. Da linha de automóveis atualmente comercializada, somente o Gol geração quatro não tem esse tipo de sistema.
Como funciona em cada marca
Audi
Destravamento comum:
Após desligar o motor, mesmo removendo a chave, as portas continuam travadas, abrindo-se somente após o acionamento da maçaneta interna (evita que um ladrão, por exemplo, abra a porta assim que se desliga o motor)
Em acidente:
Com o disparo dos airbags, as portas são destravadas e o pisca- alerta acionado. (O cabo positivo da bateria para o alternador e motor de arranque também é interrompido por um dispositivo pirotécnico próximo à bateria.)

BMW/Mini
Destravamento comum:
Ao desligar o veículo e retirar a chave, todas as portas são destravadas
Em acidente:
São destravadas as portas, acionadas as luzes internas e o pisca- alerta e é desligada a bomba de combustível e o conector do motor de partida pelo sistema SBK de segurança. O que comanda é o sistema de Airbag ACSM 4 pela central ICM (Intelligent Chassi Managment). O acionamento depende da magnitude do impacto.

Chery
Destravamento comum:
Somente o Tiggo tem travamento automático de portas, e o destravamento ocorre assim que se desliga o carro
Em acidente:
A montadora não comenta, pois atualmente está trabalhando nesse sistema

Chrysler
Destravamento comum:
Em alguns modelos pode ser programado pelo computador de bordo
Em acidente:
Com a abertura dos airbags, as portas destravam

Citroën
Destravamento comum:
Pelo botão no quadro de instrumentos ou na alavanca da porta
Em acidente:
Não respondeu.

CN Auto*
Destravamento comum:
Os veículos não têm travas elétricas
Em acidente:
Os veículos não têm travas elétricas
Effa
Destravamento comum:
Não respondeu.
Em acidente:
Não respondeu.

Fiat
Destravamento comum:
A maioria só destrava manualmente, pela fechadura.
Em acidente:
No Freemont e no 500 há sistema que detecta desaceleração brusca, mas só há destravamento se o airbag disparar. Nos demais modelos, o destravamento tem que ser manual.

Ford
Destravamento comum:
Manualmente, pela maçaneta ou botão de destravamento
Em acidente:
Não há sistema. O destravamento tem que ser manual. No novo EcoSport há um sistema atrelado à abertura dos airbags

GM
Destravamento comum:
Não respondeu.
Em acidente:
Não respondeu.

Honda
Destravamento comum:
Nos modelos com transmissão manual, todas as portas se destravam ao se retirar a chave de ignição da posição ligada. Nos automáticos, todas as portas se destravam ao se mover a alavanca do câmbio para a posição P com o pedal do freio pressionado
Em acidente:
As portas são destravadas somente ao retirar a chave de ignição da posição ligada ou ao mover a alavanca seletora do câmbio para a posição P.

Hyundai
Destravamento comum:
O destravamento automático das portas pode ser habilitado conforme opção do usuário, mas somente nos veículos com airbags. O destravamento poderá ocorrer pelo interruptor central ou, se a função de destravamento automático estiver habilitada, com o veículo estacionado, alavanca na posição P, chave de ignição ou botão na posição OFF.
Em acidente:
Nos veículos equipados com o sistema de travamento/destravamento (com airbags frontais e lateral), o módulo da carroceria, com base no processamento das informações, irá destravar automaticamente as portas.

JAC
Destravamento comum:
Ao retirar a chave, todas as portas são destravadas
Em acidente:
Não respondeu.

Kia
Destravamento comum:
Na maioria, as portas destravam ao desligar o carro
Em acidente:
Não há sistema específico

Land Rover/Jaguar
Destravamento comum:
Ao desligar o carro, as portas destravam, mesmo com a chave no bolso. Pode destravar, mas volta a travar novamente.
Em acidente:
Não respondeu.

Mercedes/Smart
Destravamento comum:
O motorista precisa acionar o botão de destravamento ou a maçaneta para abrir a porta. Todas são destravadas ao mesmo tempo.
Em acidente:
Após o airbag deflagrar, o sistema desliga o motor e destrava todas as portas, além de acender as luzes de emergência

Mitsubishi
Destravamento comum:
A Pajero TR4 tem o sistema de travamento com velocidade em todas as portas. Quando o motorista desliga o carro, todas são abertas
Em acidente:
Não respondeu

Nissan
Destravamento comum:
Não respondeu.
Em acidente:
Não respondeu.

Peugeot
Destravamento comum:
Somente ao abrir uma das portas dianteiras
Em acidente:
As portas não destravam automaticamente

Renault
Destravamento comum:
Pela maçaneta interna de qualquer porta, e todas são destravadas
Em acidente:
Nos veículos equipados com airbag, ao se detectar um choque o módulo comanda o destrancamento das portas.

Ssangyong/Changan
Destravamento comum:
Quando a chave é retirada
Em acidente:
Somente quando o airbag é disparado

Subaru
Destravamento comum:
Os modelos não dispõem de travamento ou destravamento automático acionado por velocidade. A função é comandada manualmente.
Em acidente:
Pode-se remover a chave do tambor da ignição e pressionar o botão “OPEN” no controle remoto. Outra opção é introduzir a chave no tambor de ignição, girar para a posição “ON”, acionar a abertura do vidro e introduzir a chave no tambor da porta, destravando-a em seguida.

Suzuki
Destravamento comum:
O travamento e o destravamento são manuais
Em acidente:
Não respondeu

Toyota
Destravamento comum:
Ao se retirar a chave, são destravadas todas as portas
Em acidente:
Há um sistema de destravamento automático que detecta colisão e não está ligado aos airbags

Troller
Destravamento comum:
Ao acionar o destravamento ou ao abrir uma das portas
Em acidente:
Também é manual

VW
Destravamento comum:
Depende de cada modelo
Em acidente:
Exceto no Gol geração quatro, há um sistema que detecta colisão, destravando as portas independentemente dos airbags

Volvo
Destravamento comum:
Pelo botão de destravamento ou maçaneta interna
Em acidente:
As portas são destravas pelo mesmo sensor que gerencia os airbags

FONTE: Vrum


Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']