Trending News

Notícias

Ensinando a aprender

10 dicas de como ser um bom instrutor de autoescola 

10 dicas de como ser um bom instrutor de autoescola
Foto: Freeimages.com
Dicas para o instrutor
Foto: Freeimages.com

Ensinar é um dom, muitas vezes não muito valorizado. Ser educador é um desafio e formar cidadãos conscientes não é tarefa fácil. Mesmo assim, muitos profissionais se dedicam a instruir, e principalmente, a preparar as pessoas para progredirem e vencerem seus medos.

O instrutor de trânsito é um desses profissionais, que tem uma missão um pouco mais difícil, que é tentar nivelar o ensino em turmas bastante heterogêneas e lidar com alunos que têm objetivos diferentes uns dos outros.

Para ajudar a enfrentar os desafios da sala de aula, a Tecnodata e o Portal do Trânsito trazem algumas dicas para o instrutor.

  1. Definir claramente suas metas

Planejar a aula é muito importante, assim como estudar o assunto que será ministrado. Um bom professor deve ter em mente quais são os principais objetivos que os estudantes devem atingir e proporcionar ferramentas para que consigam chegar ao alvo.

  1. Ter empatia e calma

Apesar de às vezes não demonstrarem, muitos dos alunos que estão tentando tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), estão inseguros com essa condição. O instrutor pode ajudar se colocando no lugar do aluno e tentando entender suas dificuldades. Dessa forma conseguirá auxiliar o candidato a superar os obstáculos.

  1. Estar preparado para imprevistos

Apesar de planejar a aula, as coisas nem sempre acontecem como o previsto, por isso, o instrutor deve ter sempre um plano B para os problemas que surgirem: uma aula pronta e preparada a mais, uma alternativa para o caso da internet falhar ou não funcionar, enfim, imprevistos acontecem.

  1. Se entregar à profissão com entusiasmo

É importante que o educador consiga transmitir e contagiar os alunos sem se importar com o número de estudantes em sala, nem das diferenças cognitivas, culturais, sociais e econômicas que existam entre eles. Além disso, o bom professor é capaz de motivar os seus alunos e contagiá-los na vontade de aprender.

5.  Oferecer apoio emocional aos estudantes

Em alguns casos, o aluno necessitará mais de conselhos do que da transmissão de informações. Sendo assim, o instrutor deve estar pronto para apoiá-lo e orientá-lo.

 

  1. Levar bom humor para as aulas

Apesar de ser um assunto muito importante, as aulas nos Centros de Formação de Condutores (CFCs) não devem ser sempre sérias. Quando a aula é divertida e engraçada, os estudantes enxergam o lado mais humano do instrutor, aumentando o respeito e a confiança.

  1. Não parar de aprender

Seja por amor à profissão seja por exigência, o instrutor de trânsito precisa se manter atualizado. Seus alunos merecem isso e, por outro lado, o trânsito precisa disso. Os bons profissionais da área, não se conformam em apenas conhecer aquele mínimo necessário, só para ajudar o aluno a passar na prova. Eles querem realmente contribuir para a boa formação dos condutores.

  1. Estar atento às novas tecnologias

Em um mundo onde vivemos cada vez mais conectados e cercados pela tecnologia, é importante que o instrutor as utilize durante suas aulas. Aproveite toda a vontade e disposição dos alunos em utilizar as mídias, sem lutar contra elas, para fazer com que o aprendizado no CFC seja mais significativo e relevante. Independente da vontade dos educadores/instrutores, os jovens estão construindo seus hábitos de consumo de informação moldados pelas mídias digitais e redes sociais, portanto, utilizar essas ferramentas como aliadas, usá-las a favor da formação desses jovens trará benefícios a todos.

  1. Dar o exemplo

É importante que os alunos vejam o instrutor como um bom exemplo. De nada adianta dar uma aula excepcional sobre uso do cinto de segurança, uso do capacete, travessia em faixa, não utilizar o celular enquanto dirige e ser flagrado por um dos alunos cometendo essas infrações. Com certeza encontrarão uma forma de cobrar isso. A partir do momento em que se assume a tarefa de educar, o professor fica em uma vitrine, portanto, seguir aquilo que se transmite aos alunos é essencial.

  1. Ser honesto

O instrutor deve ser sempre sincero com os alunos. Uma relação honesta gera confiança e credibilidade. Mesmo sendo educador, você não é obrigado a saber tudo. Não reconhecer isso e tentar “enrolar” as pessoas é cometer um grande erro. Hoje é muito fácil para estes alunos saírem da aula, ou mesmo dentro de sala, pesquisar na internet e confrontar o professor. E isso pode ser usado como benefício: não sei, não lembro, vou pesquisar ou ainda, vamos pesquisar agora…Essa pode ser a grande chance de, não só repassar conteúdos, mas fazer com que saibam onde buscar mais conhecimento.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *