Trending News

Notícias

Sem categoria

Preço dos carros pós-quarentena: entenda como o período afeta os valores dos veículos 

Preço dos carros pós-quarentena: entenda como o período afeta os valores dos veículos
Foto: Arquivo Tecnodata.

O preço dos carros pós-quarentena não deverá ser o mesmo que antes da chegada do coronavírus no Brasil. Leia o artigo!

Diego Andrade –

Analista de Conteúdo

Venda de carros pós-quarentena
Foto: Arquivo Tecnodata.

O preço dos carros pós-quarentena não deverá ser o mesmo que antes da chegada do coronavírus no Brasil. Para os consumidores, essa é uma informação relevante que deve ser considerada na hora de decidir quando fazer a aquisição de um novo automóvel.

Existem muitos fatores que compõem o preço de um carro. A lógica básica é reduzida a relação entre oferta x demanda. Tudo que ajuda a compor a oferta e tudo que estimula a demanda são, portanto, elementos que têm influência no preço de um automóvel.

Pensando assim, é fato que a crise do novo coronavírus (com quase 3 milhões de infectados no Brasil) seja um elemento de grande impacto na composição dos preços dos carros pós-quarentena.

Se você tem o objetivo de comprar um automóvel em breve, descubra agora mesmo se é melhor comprar agora ou esperar a situação se estabilizar!

Quais são os elementos que vão afetar o preço dos carros pós-quarentena?

Como já vimos, o preço de um veículo (e de basicamente qualquer outro item do mercado) tem a ver com a sua relação de oferta e demanda. Ou seja: quanto mais do item existir, mais barato ele fica. Ao mesmo tempo, quanto mais as pessoas querem comprá-lo, mais caro ele fica.

Isso significa, portanto, que quanto mais situações forem criadas para dificultar a presença de um item no mercado, mais caro ele ficará. Ao mesmo tempo, quanto mais empecilhos forem criados para que as pessoas comprem esse objeto, mais barato ele ficará.

Para dar um exemplo, medidas que favoreçam o carsharing diminuem o interesse em comprar carros. Isso reduz a demanda e os preços também.

Dessa forma, podemos ler os sinais do mercado e entender o que contribui para aumentar ou diminuir a oferta de automóveis e o que faz o mesmo pela demanda.

Confira abaixo essa relação!

Oferta

Em relação à oferta de carros, a situação não parece boa para os consumidores. Isso porque existem vários elementos entrando em ação para tornar os automóveis mais caros.

O primeiro deles é, claro, a disrupção na cadeia produtiva causada pelo novo coronavírus. Como é muito difícil manter as fábricas funcionando no momento, tem sido complicado para as empresas manter os estoques. Isso causa uma queda na quantidade de carros disponíveis para compra.

Outro elemento é o fato de que o dólar subiu muito. Em janeiro de 2020, a moeda americana custava ao redor de R$4,00. Em agosto de 2020, a moeda estabilizou ao redor de R$5,30, mesmo tendo batido R$5,80 em certo ponto.

Esse aumento de R$1,30 para cada dólar tornou alguns materiais importados ainda mais caros do que já eram antes. Portanto, o aumento no preço tem a ver com os custos da empresa.

Chegamos a esses pontos, portanto:

  • menos carros disponíveis por causa da disrupção da cadeira produtiva;
  • dólar mais alto, o que encarece a matéria-prima e itens importados.

Isso sinaliza um aumento de preço dos carros pós-quarentena.

Demanda

Atualmente são dois principais pontos que ajudam a controlar a demanda por novos carros. Infelizmente para os consumidores, ambos se contradizem, o que não denota uma tendência clara no setor.

De um lado, há um desejo maior para a compra de automóveis. Isso acontece porque andar de carro é uma maneira de se deslocar pela cidade com mais segurança, evitando a aglomeração do transporte público. Enquanto não houver vacina para o novo coronavírus, as pessoas vão evitar pegar ônibus ou trem, mas ainda precisarão se deslocar. O carro é, portanto, uma das melhores formas de fazer isso com segurança, ainda que seja um desafio de mobilidade urbana.

Do outro lado, em teoria nós teríamos um cenário de grande estímulo para o consumo de automóveis. O Banco Central baixou a taxa Selic para patamares mínimos históricos, mas infelizmente isso ainda não se traduziu para o financiamento automotivo.

Como há muita dúvida sobre o desempenho da economia nesse momento, com muita gente sendo despedida, os bancos acreditam que há muito risco em emprestar dinheiro e, portanto, mantiveram os juros altos.

No cenário pós-pandemia, no entanto, quando a economia se estabilizar, é possível que os juros baixem.

Além disso, há o fato de que muitos carros sofrerão danos depois de ficar tanto tempo parados. Por isso, será necessário trocá-los. Nesse contexto, podemos supor um grande aumento de demanda por três pontos:

  • alto desejo de compra de carros para proteção;
  • juros baixos;
  • troca de carros que sofreram danos parados.

Isso sinaliza um aumento do preço dos carros pós-quarentena.

E aí, os preços vão subir ou diminuir?

Com tudo isso, ficou claro que o preço dos carros pós-quarentena vai subir. Haverá uma diminuição de oferta de veículos pois os estoques atuais vão acabar e não será possível repô-los rapidamente. Além disso, a demanda vai subir bastante.

Isso faz com que seja vital comprar carros novos em Karvi agora. A plataforma funciona como um “meio de campo” entre os clientes e as concessionárias. Por isso, você conseguirá encontrar todas as concessionárias que vendem o modelo que você quer pelo menor preço possível.

O ideal é comprar agora, antes que venha a alta nos preços quando tanto a oferta, quanto a demanda, caminharem para tornar os automóveis mais caros.

E aí, gostou do nosso conteúdo? Se o artigo foi útil para você, deixe um comentário abaixo com a sua opinião!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *