Notícias

Notícias

165 mil vítimas em 6 meses 

No período, 107.403 brasileiros (65% do total) saíram dos acidentes inválidos; 26.894 morreram e outras 30.814 pessoas engrossaram as estatísticas dos feriados. De cada quatro vítimas de acidentes no trânsito nas ruas e estradas brasileiras, apenas uma é do sexo feminino. É o que indica levantamento feito pela Seguradora Líder, responsável pela administração do consórcio de seguradoras que operam no seguro obrigatório de veículos automotores (Dpvat). De acordo com o estudo, baseado em indenizações pagas no primeiro semestre do ano, 76% das vítimas de acidentes de trânsito eram homens. A pesquisa da seguradora mostra que em seis meses foram pagas 165.111 indenizações, o equivalente a 1.321 ao dia (útil). Em valores, os desembolsos alcançaram R$ 1,1 bilhão. Outro dado do levantamento indica que a grande maioria das pessoas vitimadas no trânsito ficou de alguma forma inválida: 65% do total. Nesta situação, entraram nas estatísticas 107.403 brasileiros no período de janeiro a junho, cada qual indenizados em até R$ 13.500. As mortes foram 16%, ou seja, 26.894 óbitos, cada um indenizados em R$ 13.500. Já os feridos chegaram a 30.814 (19%), casos em que o seguro reembolsa, em cada evento, despesas médico-hospitalares de até R$ 2.700. Os motociclistas são as principais vítimas de acidentes: 66% do total. A frota de automóveis, apesar de concentrar 61% do total de veículos em circulação no País, representou 49% das indenizações pagas por morte, enquanto as motocicletas (27% da frota nacional) geraram 37%. A grande preocupação da Seguradora Líder, agora, é o elevado número de ações judiciais e a ação de terceiros no processo de pedido das indenizações. “Queremos reduzir os sinistros judiciais e, principalmente, a ação dos atravessadores. A nossa intenção é fazer com que 100% do valor das indenizações fiquem com as vítimas ou seus familiares”, diz o presidente da companhia, Ricardo Xavier. Ele lamenta o fato do grande número de acidentes nas estradas não causar no Brasil uma “comoção tão intensa” quanto a que ocorre nos sinistros envolvendo aeronaves. PERDAS Segundo executivo, a gravidade da situação brasileira pode ser medida pelos números do seguro Dpvat. “No primeiro semestre, pagamos, em média, 2,5 indenizações a cada minuto. Em valores foram R$ 1,1 bilhão. No ano, deverão ser R$ 2,5 bilhões”, comenta. Na avaliação de Ricardo Xavier, esse quadro pode se agravar ainda mais em razão do aumento expressivo da frota de motocicletas, em circulação nas ruas e estradas brasileiras. Além disso, é esperado um aumento da demanda na Região Nordeste, que hoje responde por 26% do total de indenizações pagas. Isso porque a Seguradora Líder firmou acordo com os Correios para atender às vítimas de acidentes e familiares em suas agências nos estados de Ceará, Maranhão e Piauí. A parceria selada com a ECT eleva a rede de atendimento do seguro no Nordeste para 546 municípios, totalizando 1.775 pontos em todo o Brasil. “O Dpvat é um direito de toda vítima de trânsito no Brasil”, reforça Xavier.[2] Atualmente, do total de indenizações pagas no País, 18% têm São Paulo como destino, o que representa exatamente a soma dos valores destinados às regiões Centro-Oeste (10% do total) e Norte (8%). Minas Gerais é o segundo estado em número de indenizações (10%), seguido por Rio de Janeiro. Fonte: Jornal do Comércio

Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']