Notícias

Notícias

Adição de álcool na gasolina ajuda a diminuir poluentes 

Adição de álcool na gasolina ajuda a diminuir poluentes
Já o consumo de etanol hidratado, que havia sido de 17,863 bilhões de litros em 2015, caiu para 14,586 bilhões de litros em 2016.

A partir do dia 1º de maio passa a valer em todo o país, o aumento para até 25% no percentual obrigatório de álcool na gasolina. A alteração deixa os proprietários de veículos com dúvidas em relação ao funcionamento dos veículos.

O professor de mecânica do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/Acre), Rafael da Silva, esclarece que a Euro 5, regulamentação criada pelo Brasil que passou a vigorar em janeiro de 2012, o álcool aditivado vai passar de 20% para 25% em relação a gasolina. “Esse percentual foi criado justamente para poder diminuir os poluentes e também melhorar na limpeza interna do motor.”, comenta Silva.

Segundo o professor, os novos veículos estão sendo desenvolvidos com a tecnologia Euro 5, preparados para atender a demanda do percentual de álcool aditivado na gasolina.

Sobre o rendimento do veículo, Rafael da Silva afirma que a economia dos que trafegam com álcool é diferenciada daqueles que transitam somente com gasolina. “Isso porque o álcool é mais fácil de evaporar e a gasolina não. Por isso, o álcool em relação a gasolina, tem o preço mais barato, porém, quanto a economia do veículo não tem vantagem”, diz o professor.

Para os proprietários de carros bicombustíveis, o professor do Senai/Acre indica qual a melhor alternativa na hora do abastecimento. “Os veículos flex queimam melhor com álcool, porque o tempo de ebulição desse combustível é melhor e para ele ser queimado precisa de uma compressão a mais do que na gasolina”, explica.

Gasolina e diesel mais caro do país
De acordo com os valores divulgados nesta quarta-feira (24) pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) no Diário Oficial da União (DOU), o estado do Acre está no topo da lista do Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final dos combustíveis em diversos estados. Os números são válidos para o cálculo do Imposto Sobre a Circulação de Produtos e Serviços, medida adotada nas ações desde o primeiro dia do mês de abril deste ano.

No Acre, de acordo com a publicação, o preço médio da gasolina ao consumidor final é R$ 3,25, o mais caro do Brasil. A diferença do valor para o estado do Mato Grosso, o segundo mais caro do país, é de R$ 0,14. Lá, a gasolina é comercializada pelo preço médio de R$ 3,11. O estado de Pernambuco, com o combustível custando R$ 2,83 tem o valor mais barato entre as 23 unidades da federação.

Segundo o Confaz, o preço médio do diesel no Acre também é o mais elevado do país, ao custo de R$ 2,72. A diferença para o estado de Roraima, que possui o segundo valor médio mais alto do diesel no Brasil, é de R$ 0,16. Naquele estado, o produto é vendido por R$ 2,56 ao consumidor final, em média. O diesel mais barato do país é vendido no estado do Mato Grosso do Sul (R$ 2,20).

Na relação divulgada pelo Confaz apenas os estados da Bahia, São Paulo e Rio Grande do Sul não informaram os valores dos combustíveis.

Fonte: G1.com


Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']