Notícias

Notícias

Cadeirinhas infantis são reprovadas em teste de colisão 

Cadeirinhas infantis são reprovadas em teste de colisão
Estudos mostram que dispositivos de retenção diminuem o risco de óbito em até 71% em caso de acidentes.

Teste com cadeirinhasA Proteste – Associação Brasileira de Defesa dos Consumidores – analisou as principais cadeirinhas automotivas disponíveis no mercado e constatou que todas precisam melhorar sua performance. Dezesseis modelos passaram por testes de impacto e os resultados ficaram muito aquém do esperado. A avaliação tem grande relevância para os consumidores por dois motivos: utilizam esse equipamento para garantir a segurança de suas crianças e a legislação de trânsito obriga o condutor a transportar os pequenos com os equipamentos (inclusive multando o motorista que não usar). No teste de impacto lateral, simulado a uma velocidade de 28 km/h, a maioria das marcas teve um desempenho ruim ou no máximo aceitável. Houve produto com avaliação limitada apenas a uma estrela. Isso ocorreu pois o impacto simulado foi direto na cabeça do boneco contra a lateral do carro. Os testes mostraram que os dispositivos de retenção das crianças nos veículos ainda precisam evoluir para trazer maior segurança às famílias que o utilizam. “A expectativa da Proteste é que sejam obrigatórios os testes laterais no Brasil pelo Inmetro”, afirma Sônia Amaro, advogada da Proteste.

A Global NCAP, Programa de Avaliação de Carros Novos, parceira da Proteste, avaliou a segurança de oito bebês-conforto e oito cadeiras para crianças – duas de 9 a 18 Kg; uma de 0 a 18 Kg e cinco de até 9 a 36 Kg disponíveis no mercado latino americano. Como nenhuma recebeu a classificação top, o fato é preocupante.

Além disso, entre as cadeirinhas de 9 a 36 kg, todas obtiveram resultado de impacto lateral no máximo aceitável. Nos testes de impacto frontal, apenas as marcas Chicco Neptune e Infanti Star conseguiram se classificar como bons. Entre as cadeirinhas de 9 a 18 kg, a Britax Roemer Duo Plus que possui o sistema Isofix superou à sua versão sem o sistema. Uma pena é que essa cadeirinha ainda não pode ser encontrada no mercado brasileiro, mas pelo menos demonstrou a eficiência do sistema isofix. “Pedimos também que seja obrigatória a comercialização de cadeirinhas com o sistema isofix no país”, declarou Sônia.

O uso do dispositivo de retenção infantil é obrigatório no Brasil desde 2010. A Proteste está lançando uma cartilha virtual que está disponível no site (www.proteste.org.br/cartilhas). O objetivo é alertar os pais quanto a importância da instalação e uso correto da cadeirinha.

Saiba mais

Segundo a Proteste, o sistema isofix oferece um método muito mais seguro de unir o sistema de retenção infantil ao carro. Ele facilita o encaixe da cadeirinha ou bebê conforto, ou o top theter, que é um ponto de fixação adicional na parte superior do bebê conforto. A Proteste recomenda o uso de Isofix, seguindo as recomendações da ONU.

Marcas testadas

Crianças até 13 Kg: Bebe Confort Streety Fix; Britax Roemer Baby Safe Plus; Britax Roemer Baby Safe Plus com base; Burigotto Touring; Chicco Keyfit; Galzerano Piccolina, Maxi Cosi Citi SPS; Peg Perego Primo Viaggio tri-fix. Crianças de 9 até 36 Kg: Britax Roemer Duo Plus; Britax Roemer Duo Plus TT; Burigotto Múltipla; Chicco Neptune; Cosco High Back Commuter XP; Gracco Nautilus; Infanti Star; Peg Perego Viaggio 1 Duo Fix.

Fonte: Jornal Correio do Povo

Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']