Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

15 de julho de 2024

Condutores escolares programam manifestação para quinta-feira em SP


Por Mariana Czerwonka Publicado 19/08/2013 às 03h00 Atualizado 08/11/2022 às 23h32
Ouvir: 00:00

Na próxima quinta-feira (22/08), cerca de 1.000 condutores escolares do Transporte Escolar Gratuito (TEG) de São paulo planejam carreata de advertência para reivindicar o reequilíbrio financeiro de seus contratos com o governo municipal.

A carreta foi convocada pela comissão permanente de negociação, pela associação Artesul e pelo SIMETESP que, após reuniões com a Secretaria Municipal de Educação, receberam a notícia de que as negociações seriam suspensas por falta de recursos financeiros para aumento da remuneração dos condutores. “Já foram feitos ofícios para o Ministério Público e para a Prefeitura comunicando a realização da carreata. Estamos lutando pelo reequilíbrio financeiro de nossos contratos que estão desatualizados e muito longe do gasto que temos para a manutenção do serviço prestado”, afirma um dos membros da comissão permanente, Jorge “Formiga” Salgado.

Segunda manifestação

No dia 16 de maio, a categoria de condutores escolares realizou uma primeira carreata que contou com a participação de cerca de 500 vans escolares. Após a manifestação, o governo municipal anunciou o aumento de R$ 700. Segundo os motoristas, o valor é insuficiente já que estavam cerca de oito anos sem o reajuste de seus contratos.

Após três meses de negociação, a Secretaria de Educação e a categoria de condutores não chegou a acordo que satisfizesse as demandas exigidas pelos trabalhadores. Para o reequilíbrio financeiro, os condutores pedem a simplificação dos métodos de remuneração (valor fixo por veículo mais pagamento por quilômetro rodado). “As diversas fórmulas dos contratos emergenciais confundem tanto os trabalhadores quanto à Prefeitura, por cada regional interpreta a remuneração de uma maneira”, argumenta Formiga.

Trajeto

Os trabalhadores pretendem sair das regiões leste, oeste, norte e sul da cidade em direção à Prefeitura. Para chegar à sede do governo paulistano, os motoristas vão se encontrar na avenida 23 de maio, seguir para a avenida Paulista, passar pela rua da Consolação e chegar até o viaduto do Chá.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *