Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

20 de julho de 2024

Dirigir com sono pode ser tão perigoso quanto após consumir álcool


Por Mariana Czerwonka Publicado 01/04/2022 às 11h15 Atualizado 08/11/2022 às 21h12
Ouvir: 00:00

O perigo de dirigir embriagado já está mais do que comprovado, o que poucos sabem é que dirigir com sono traz uma diminuição de desempenho equivalente ao consumo de álcool.

Uma pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) reuniu dados que mostram que depois de 19 horas de privação de sono há diminuição de desempenho equivalente à observada em indivíduos com teor alcoólico no sangue de 0,70 g/l (aproximadamente igual a seis copos de cerveja). Isso quer dizer que o sono diminui muito a capacidade de dirigir e pilotar.

“Muitas pessoas acreditam que podem controlar o sono utilizando artifícios como café, música alta ou vento no rosto, mas sem perceber elas podem tirar um cochilo fatal”, explica Eliane Pietsak, pedagoga e especialista em trânsito.

Conforme a especialista, alguns sinais devem ser observados e se o motorista sentir algum deles, a orientação é não lutar contra o sono. “O condutor deve parar e só retomar a direção do veículo depois de descansar”, afirma Pietsak.

Veja alguns sinais do sono ao dirigir:

  • É necessário se esforçar para se concentrar e manter os olhos abertos;
  • A cabeça começa a pesar;
  • A pessoa não para de bocejar;
  • A visão perde o foco;
  • Os pensamentos começam a ficar vagos e desconexos;
  • Ocorrem pequenos desligamentos, com desvios na trajetória do veículo.

Alguns cuidados são indispensáveis nesses casos. “Nas primeiras horas da manhã redobre os cuidados. Além disso, só dirija se estiver realmente descansado e bem disposto. Outro ponto de atenção é em períodos em que há baixa do nível de energia, como, por exemplo, após as refeições e durante a madrugada”, orienta a especialista.

Estatísticas

De acordo com levantamento divulgado pela Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET) o sono é uma das principais condições de saúde que mais motivam acidentes de trânsito nas rodovias brasileiras. Conforme os dados, esta condição adversa motivou cerca de 22,6 mil acidentes registrados nas rodovias. Além disso, causaram 2.092 mortes e deixaram 22.645 feridos, entre 2014 e julho de 2020. Estatísticas mundiais também mostram que entre 26% e 32% dos acidentes de trânsito são provocados por motoristas que dormem na direção.

O condutor que perceber o sono frequente na direção do veículo deve procurar ajuda. “O sono pode não ser proveniente apenas do cansaço, mas pode estar ligado também a outros distúrbios de saúde”, conclui Pietsak.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *