Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

19 de julho de 2024

Veja cinco sinais de que o estresse está afetando seu comportamento no trânsito

No trânsito, o efeito do estresse frente a situações do cotidiano é claramente visível. Veja sinais.


Por Mariana Czerwonka Publicado 23/03/2023 às 13h30
Ouvir: 00:00
Sinais de estresse
Algumas condições facilitam ou agravam o estresse. Foto: AdobeStock

O estresse é um conjunto de reações do organismo que prejudica o desenvolvimento das atividades diárias e a própria saúde do indivíduo, provocando alterações indesejáveis e consequências perigosas. Cada pessoa reage ao estresse de maneira diferente, mas ele, geralmente, dá sinais de que está ali. No trânsito, porém, o efeito do estresse frente a situações do cotidiano é claramente visível.

Conforme Eliane Pietsak, especialista e instrutora de cursos especializados, as pressões e tensões extras que o trânsito proporciona podem funcionar como a “gota d´água”.

“É possível que haja alterações de padrões de comportamento do condutor, fazendo-o criar situações de risco e insegurança, para si e para os demais usuários”, explica.

Veja, então, cinco sinais de que o estresse está afetando seu comportamento no trânsito.

1. Aumento da irritabilidade

Um indivíduo que já apresenta uma característica de irritabilidade, quando estiver estressado certamente irá piorar seu comportamento, tornando-se agressivo ou hostil e provocando acidentes.

2. Falta de concentração

Um dos sinais que a pessoa com estresse pode apresentar é a falta de concentração. No trânsito, isso pode aparecer com esquecimento frequente de automatizações básicas do ato de dirigir, como, por exemplo, esquecer de sinalizar uma manobra com o pisca-pisca, ou mesmo, mudar de faixa sem antes verificar a presença de outros veículos, etc.

3. Apatia

A apatia também pode se apresentar como um sintoma do estresse, quando este já está em níveis mais sérios. No trânsito, um condutor apático pode evitar de assumir sua parcela de responsabilidade, colocando em risco a sua vida e a dos demais.

4. Pessimismo

Outro sintoma que pode aparecer é o pessimismo, que é quando faltam ânimo e energia para decidir e agir. No trânsito, isso pode significar reações lentas e inadequadas que podem gerar diversos tipos de acidentes.

5. Mal estar e tonturas

Sintomas físicos como mal estar e tonturas também podem aparecer no indivíduo estressado. O ato de dirigir exige que o condutor esteja em plenas condições físicas para que a segurança não seja colocada em risco. Esse tipo de sintoma pode causar zig-zag no trânsito, aumento dos pontos cegos e diminuição da percepção de risco.

Fatores estressantes

Algumas condições facilitam ou agravam o estresse: pouca atividade física, comer demais ou de menos, refeições irregulares, alimentação rica em gordura ou pobre em fibras, baixo consumo de líquidos, dormir pouco e vida desorganizada.

“O primeiro passo é identificar os fatores estressantes ou que predispõem ao estresse. Depois, achar um padrão de vida mais saudável. É importante, se perceber o aumento da intensidade do problema, procurar ajuda médica”, orienta Pietsak.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *