Notícias

Notícias

Desgaste no trânsito pesado 

Desgaste no trânsito pesado

Desgaste no trânsito

Andar em segunda marcha, parar, acelerar e frear. Essa é a rotina de quem enfrenta o trânsito nas grandes capitais. Entenda como isso afeta o desempenho do seu carro e como minimizar esses impactos

Quem tem uma rotina diária no volante sabe o quanto é cansativo enfrentar congestionamentos antes de ir trabalhar ou depois de um dia de labuta. Por isso, além de pensar no destino final, bom mesmo é ter atenção aos impactos que o trânsito pesado causa no veículo. E não é pouco. Entenda como pequenos hábitos afetam o desempenho do motor e o que fazer pra evitar esses contratempos.

Para Gerson Burin, analista técnico da Cesvi Brasil, é possível identificar alguns sinais de desgaste só de ouvido. “É importante o condutor estar sempre atento ao painel de instrumentos que dão o primeiro alerta. A gravidade do problema é informada por meio de cores. As luzes amarelas correspondem a itens intermediários. Já as vermelhas, destacam casos de maior relevância”.

O conjunto de embreagem é o líder, segundo Burin, entre os itens que mais sofrem com a pressão dos engarrafamentos. “Em um trajeto de um quilômetros, por exemplo, você vai fazer, em média, de sete a dez trocas de marcha sempre acionando a embreagem. Isso demanda uma força bem maior que outros itens, mas que também sofrem dano por estarem diretamente ligados, como os freios”, exemplifica Burin.

A quantidade de acionamento do pedal de freio em congestionamentos, segundo o especialista, é superior ao que seria feito em um mesmo com trânsito ameno.

“Em épocas mais quentes, com o carro parado, você não tem o fluxo de ar que refrigera o radiador. Com isso, o eletroventilador entra em ação para resfriar o motor, o que demanda mais energia dele”. O analista explica que, em uma rodovia, onde o ar externo passa em grande quantidade pelo radiador, o que dispensa o acionamento desse dispositivo de resfriamento, o que não compromete o funcionamento.

Para o chefe de oficina da Gerardo Bastos, Carlos Peixoto, o trânsito lento afeta também o bolso do condutor. “Quando o carro apresenta ‘engasgos’ contínuos, falhas ao ligar e resfriamento parcial do motor, também são sinais de alerta que merecem atenção”.

Em dias com a revisão

Estar em dia com a revisão do seu carro, segundo Peixoto, é fundamental para que o condutor não passe por apuros e acabe sendo um causador de congestionamentos.

Ficar atento a buracos nas vias evitam problemas com pneus e suspensão, adverte Peixoto. “Enfrentar essas contratempos podem comprometer a suspensão, o que pode gerar como problemas desconforto nas curvas, travamento e barulhos”.

Fonte: O Povo

Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *