Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

13 de julho de 2024

Autoescola é para ensinar a dirigir ou para tirar a CNH? Especialista explica!


Por Mariana Czerwonka Publicado 11/08/2022 às 11h15 Atualizado 08/11/2022 às 21h05
Ouvir: 00:00

A autoescola tem como objetivo ensinar a dirigir ou apenas fazer o aluno passar na prova do Detran para tirar a CNH? O Portal do Trânsito foi atrás da resposta.

Todo cidadão brasileiro, acima de 18 anos, que pretende tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) passa pela experiência de frequentar uma autoescola, ou melhor, um Centro de Formação de Condutores (CFC). De acordo com a Resolução 789/20 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), essas empresas devem ter como atividade exclusiva o ensino teórico e prático com objetivo de formar, atualizar ou reciclar candidatos e condutores de veículos.

Muitas pessoas, no entanto, questionam se a autoescola tem como objetivo ensinar ou apenas fazer o aluno passar na prova do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). O Portal do Trânsito foi atrás da resposta.


Saiba mais:

PL pretende permitir que aluno entre na autoescola antes de completar 18 anos 

A difícil missão de formar condutores no Brasil 

Conforme Celso Alves Mariano, especialista e diretor do Portal do Trânsito & Mobilidade,  a pergunta é bastante oportuna. “No Brasil, vivemos questionando a qualidade do processo de formação de condutores. No Congresso Nacional, por exemplo, tramitam vários projetos de lei que propõem modificações no processo como um todo, na metodologia e nas regras. Algumas mudanças bem radicais”, pontua.

Para o especialista, o CFC existe para formar o condutor, mas também para fazer o candidato passar na prova do Detran.

“No Brasil só chega a CNH aquele cidadão que fez o curso de formação de condutores e se submeteu as avaliações do Detran e passou. Portanto, quem diploma o aluno do CFC é o Detran, não é o próprio CFC. Autoescola é mais ou menos como o curso preparatório para concursos públicos, como o curso pré-vestibular ou o preparatório para o Enem. O CFC não tem o poder de dizer se o candidato pode dirigir, porque essa é uma autorização que o Estado fornece, através do Detran”, explica.

Mariano ressalta que boa parte desse dilema acontece devido a qualidade das avaliações dos Detrans. “A qualidade das avaliações dos Detrans influencia no curso que é dado no CFC. Se as perguntas do Detran são inteligentes, se as avaliações práticas realmente aferem a capacidade e a aquisição da habilidade de conduzir, passa o recado para a autoescola que o padrão está lá em cima. Agora, se o Detran cobra bobagens nas provas, os CFCs têm que gastar um tempo preciosíssimo para que seus clientes passem na prova. A melhora no processo passa pela melhora nas avaliações dos Detrans”, argumenta.

Assista, na íntegra, a resposta do especialista Celso Mariano no Programa Tira-dúvidas de trânsito. Ele fala sobre o real papel da autoescola.

Processo para tirar a CNH

A primeira etapa do processo para tirar a CNH é ser aprovado na avaliação psicológica. Depois disso no exame de aptidão física e mental. Este avalia a visão, bem como força muscular, coração, pulmões e saúde mental.

Após aprovado nesses exames, o candidato passa por 45 horas/aula de curso teórico. Atualmente é possível realizá-lo na modalidade remota. Dessa forma, se aprovado no exame teórico, o aluno começa as aulas práticas.

O curso prático deve ter obrigatoriamente, no mínimo, 20 horas/aula. Isso vale tanto para a categoria A (moto), como para a categoria B (carro). Após a conclusão do curso, o candidato faz a prova prática. Somente a aprovação em uma etapa permite fazer a seguinte.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *