Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

13 de julho de 2024

Curitiba reduz óbitos, mas vê aumento no número de motociclistas mortos em acidentes


Por Mariana Czerwonka Publicado 12/10/2022 às 16h30 Atualizado 08/11/2022 às 21h02
Ouvir: 00:00

Dados revelam que as mortes no trânsito diminuíram em Curitiba, mas o número de motociclistas mortos em acidentes aumentou.

A Prefeitura de Curitiba divulgou, nesta semana, o relatório anual do Programa Vida no Trânsito (PVT) Os dados revelam que as mortes no trânsito diminuíram na cidade no ano de 2021, na comparação com 2020. No entanto, o número de motociclistas mortos em acidentes de trânsito em Curitiba aumentou de um ano para o outro.

Conforme o relatório, foram registradas 168 mortes em 2021 e 179 em 2020, o que corresponde a uma redução de 6,1%. Por outro lado, em 2020, foram 69 mortes de motociclistas, e em 2021, 76.+

De acordo com Rosângela Battistella, superintendente de trânsito de Curitiba, em todo o mundo, os motociclistas são as maiores vítimas do trânsito.

“Reforçamos as campanhas educativas e estratégias para diminuir essas mortes, como a implantação das motocaixas nas principais vias da cidade. Infelizmente a imprudência, a pressa e o excesso de velocidade de muitos acabam elevando esses números”, diz a superintendente de trânsito de Curitiba, Rosangela Battistella.

Ela explica também que o aumento dos serviços de entregas com motos, impulsionado pelas restrições sociais impostas pela pandemia de covid-19, colocou esse grupo em destaque entre as vítimas.

“As pessoas priorizaram os serviços de entrega de todos os tipos de produtos na pandemia, o que fez com que a demanda do serviço e o número de motociclistas nas ruas aumentasse consideravelmente neste período”, pontua a superintendente.

Causas e perfil

Segundo a Prefeitura, dentre os principais fatores e condutas que contribuíram para a ocorrência das mortes no trânsito estão: bebidas alcoólicas, velocidade excessiva e desrespeito à sinalização de trânsito.

Na análise das mortes por faixa etária e sexo, o homem, entre 20 a 39 anos, aparece como a principal vítima, com 54,8% dos casos. Dos 92 óbitos ocorridos nessas faixas etárias em 2021, 79 foram de pessoas do sexo masculino.

O domingo, a quarta e a quinta-feira foram os dias da semana em que mais ocorreram óbitos no trânsito. A madrugada bem como o início de noite foram os períodos do dia em que aconteceram o maior número de mortes.

De acordo com o diretor da Escola Pública de Trânsito de Curitiba (EPTran), Claudionor Agibert, o trabalho existente em relação aos públicos mais vulneráveis no trânsito curitibano será reforçado.

“Esses dados são fundamentais para estabelecermos políticas públicas, em todas as áreas. Seja na engenharia, assim como na educação ou na fiscalização, tentaremos diminuir esses índices”, explica o diretor.

Segundo os dados apurados, os motociclistas são as principais vítimas dos acidentes de trânsito (76 mortes). Em seguida estão pedestres (42), ocupantes de automóvel (34), ciclistas (14), ocupantes de ônibus (1) e outros (1). Acesse a pesquisa completa.

Com informações da Assessoria de Imprensa

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *