Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

19 de julho de 2024

Estudo aponta crescimento do número de condutores que dirigem alcoolizados


Por Pauline Machado Publicado 25/03/2022 às 11h15 Atualizado 08/11/2022 às 21h13
Ouvir: 00:00

O levantamento registrou alta de 37,5% no número de condutores que dirigem alcoolizados na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Desde o início de 2021, quando iniciou o segundo ano de pandemia, o número de condutores flagrados alcoolizados ao volante disparou no Distrito Federal. Os dados são do Departamento de Trânsito – Detran/DF.

O levantamento registrou alta de 37,5% entre janeiro e agosto de 2021, na comparação com o mesmo período de 2020. Isso equivale a 16.419 motoristas flagrados com álcool no organismo no ano passado, contra 11.943 registros em 2020.

O Detran/DF ressaltou ainda que, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), além de ter como consequência a suspensão do direito de dirigir pelo período de um ano, conduzir após o consumo de álcool é infração gravíssima. A multa é de R$ 2.934,70.

Internamentos por traumas no trânsito devido ao consumo de álcool

Conforme outro estudo, desta vez realizado pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina (HC/FM-USP), 31,4% dos internamentos por motivo de trauma apresentaram níveis de consumo de substâncias psicoativas. ​O estudo teve a colaboração de pesquisadores do Hospital Universitário de Oslo, na Noruega, e também da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

De acordo com o levantamento, o álcool foi a substância mais consumida em 23% dos casos de traumas recebidos pelo hospital universitário. Depois aparece o uso de cocaína com 12% e maconha com 5%.

A pesquisa registrou ainda, que da lista de pessoas entrevistadas – todas maiores de 18 anos, que sofreram algum tipo de trauma entre julho de 2018 e junho de 2019, a maioria foi por acidente de trânsito. Na sequência aparecem quedas e fatos violentos, como brigas e agressões, sem e com armas de fogo.

O especialista em tratamento para dependência química José Maria da Silva, responsável pela clínica de recuperação Valor da Vida, salienta que o consumo de bebida alcoólica tira a atenção do motorista no trânsito. E, além disso, prejudica a sua reação em uma situação adversa.

“A pessoa que está dirigindo não deveria pensar em beber quando sai de casa com seu veículo. Enquanto isso, o poder público deve se preocupar em conscientizar essas pessoas para reduzir, não só acidentes de trânsito, mas também muitos problemas que essas pessoas enfrentam todos os dias. Todos precisam de ajuda”, complementa José Maria.

Campanhas de conscientização

Nesse sentido ele ressalta que o Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN, estabelece um calendário com campanhas de conscientização no portal do Governo Federal. No mês de março de 2022, por exemplo, os temas transporte escolar e trânsito seguro serão explorados na campanha.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *