Notícias

Notícias

Ignorar recall de veículos representa risco para a segurança no trânsito 

Engenheiro mecânico de São Carlos, SP, faz um alerta aos motoristas. 40% deles não levaram o veículo para o conserto, diz estimativa do DPDC

Um descuido de muitos donos de veículos pode comprometer a segurança no trânsito. Quando a montadora verifica que o modelo apresentou algum problema, ela solicita que os motoristas levem o carro para fazer o conserto de graça, no chamado recall. O problema é que muita gente ignora esse pedido, o que pode ser um risco, segundo o engenheiro mecânico de São Carlos (SP) Armando Gullo Martins.

Desde 1991, quando foi feita a primeira convocação, os donos de 10 milhões de carros, motos e caminhões foram chamados pelas montadoras, mas 40% deles não levaram o veículo para o conserto, de acordo com uma estimativa do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC).

Segundo Martins, o motorista deve atender ao recall mesmo que julgue que o veículo esteja em boas condições. Segundo ele, se a montadora chamou é porque existe risco. “Pode ser no sistema de freios que em uma situação extrema pode levar ao não acionamento. Um cinto de segurança, que no momento de uma frenagem, o fecho pode-se abrir”, ressaltou.

Martins explicou ainda que muitos recalls são feitos a partir de reclamações dos motoristas. Por isso é importante relatar às concessionárias os problemas dos veículos. “As montadoras hoje estão valorizando muito o pós-venda, que é a rede de concessionárias, e as informações que elas passam às montadoras para que se comece a acompanhar essas ocorrências”, disse.

 Problemas

Quando a fábrica anuncia o recall, por exemplo, da direção hidráulica de determinado modelo o motivo pode ser falha no processo de um componente interno da bomba de direção. Se ela travar, há vazamento de óleo e a direção endurece. O motorista pode perder a referência e causar acidentes.

Outro perigo é se for constado algum problema nas rodas dianteiras devido ao aquecimento excessivo dos rolamentos. Se eles não forem trocados, a roda pode travar. Também existe recall para vidros laterais. O risco mais comum é eles se soltarem. Se isso acontecer, pode atingir quem estiver no carro, além de pedestres e pessoas em outros veículos.

O consumidor deve exigir e guardar o comprovante de que o recall foi feito. Que, em caso de venda, deve ser entregue ao comprador. O consumidor que tiver dúvidas ou quiser fazer uma reclamação, pode sempre procurar o Procon da cidade.

Fonte: G1 Notícias


Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']