Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

13 de julho de 2024

99 facilita acesso de motoristas a carros elétricos e prevê 10 mil desses veículos circulando no Brasil até 2025


Por Pauline Machado Publicado 26/08/2022 às 18h30 Atualizado 08/11/2022 às 21h05
Ouvir: 00:00

Neste ano em que comemora 10 anos de atuação no Brasil, a 99 comunicou a meta de até 2025 ter 10 mil carros elétricos circulando no País.

Com 770 mil motoristas em operação e atuando em 1.600 cidades, a 99 vem mantendo a sua aposta em tecnologia e compromisso socioambiental e promete investir mais em carros elétricos. Desde que foi vendida ao grupo chinês Didi Chuxing ela detém mais de 60% da mobilidade mundial por aplicativos.

Neste ano em que comemora 10 anos de atuação no Brasil, a 99 comunicou a meta de até 2025 ter 10 mil veículos elétricos circulando no País. Além, também, do aporte para instalação de 10 mil estações públicas de recarga no mesmo período de tempo.

Cuidado socioambiental

Como resultado da parceria da empresa com a Movida e o Banco BV, por meio da Aliança Pela Mobilidade Sustentável, e atrelado ao seu objetivo de zerar a emissão de carbono no aplicativo até 2030 e colocar em circulação 300 carros elétricos até o final deste ano, a companhia anunciou, também, desconto de até 50% no aluguel de carros elétricos para motoristas parceiros a partir deste mês de agosto. Além disso, um subsídio de R$ 1 mil para quem aderir ao programa.

De acordo com a empresa, essa iniciativa tem tripla função socioambiental. Isso porque aumenta os ganhos dos condutores ao gerar economia de até 80% na troca de combustível por energia elétrica; reduz a emissão de CO2 e oferece transporte sustentável aos passageiros.

“O Banco BV acaba de ingressar na Aliança pela Mobilidade Sustentável, liderada pela 99, e vai promover acesso ao crédito a carros elétricos. Simultaneamente, a Movida vai diminuir custos de aluguel. Esse é o ponto de partida para o acesso dos motoristas parceiros a veículos sustentáveis”, ressalta Thiago Hipólito, Diretor de Inovação da 99 e Líder do DriverLAB.

O DriverLAB é o centro de inovação que vai investir R$ 250 milhões em três anos no desenvolvimento de novas soluções para motoristas parceiros. Destes, R$ 100 milhões somente em 2022.

Além do Banco BV e Movida, fazem parte da Aliança, lançada em abril deste ano: BYD, CAOA Chery, Ipiranga, Raízen, Tupinambá Energia, Unidas e Zletric.

Expansão do transporte

A cada 10 viagens realizadas por meio da 99 neste ano, sete ocorrem na periferia do Rio de Janeiro e mais da metade fora de áreas centrais de São Paulo (57%), Recife (59%), Belo Horizonte (59%), Manaus (61%), Goiânia (62,5%), Porto Alegre (63%) e Curitiba (65%). Salvador (49%) assim como Belém (48%) estão bem próximas dessa realidade. Tais números só foram possíveis devido a parcerias e ao desenvolvimento do DriverLAB em prol dos motoristas parceiros.

De acordo com informações da 99, o cruzamento de dados do Censo com a quantidade de viagens realizadas em núcleos de baixa renda de 10 capitais brasileiras confirma a expansão da empresa também foram dos grandes centros. “O que era impensável para a população em 2012, hoje já é uma realidade. É possível, sim, que pessoas que moram em regiões periféricas tenham acesso a transporte ágil, confortável bem como integrado a outros meios de locomoção. Isso já é realidade para mais de 20 milhões de pessoas que têm cadastro na 99”, enfatiza o Diretor de Inovação da 99 e Líder do DriverLAB.

Investimentos

Uma pesquisa inédita da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) revela que a 99 aplicou indiretamente R$ 54,2 bilhões no PIB brasileiro de 2012 a 2021.

De acordo com o levantamento, 84,5% dessa participação em 10 anos aconteceu entre 2019 e 2021, quando se gerou R$ 45,8 bilhões na economia. Nos anos anteriores, por exemplo, os números foram:R$12,72 bilhões, em 2019, R$15,37 bilhões em 2020 e R$ 17,69 bilhões em 2021. Isso equivale a um crescimento de 39% nos três anos.

A Fipe considera o impacto da renda, gastos operacionais bem como consumo familiar dos motoristas parceiros. São eles que movimentam os negócios em outros setores produtivos da economia brasileira. Um exemplo é o setor de comércio em varejo assim como atacado, altamente impactado pelo consumo das famílias impactadas por toda essa cadeia.

A atividade da 99 foi responsável também pela geração indireta de 1.172.975 postos de trabalho formais entre 2012 e 2021. Desse total, 382.589 foram criados no ano passado, ante 331.890 em 2020, e 286.419 em 2019, um aumento de 33,5% nos três últimos anos.

“A participação da 99 no PIB nos últimos 10 anos demonstra um crescimento sustentável. Além disso, com benefícios para toda a sociedade, de norte a sul do país. Ao longo dos últimos três anos, 44% do impacto financeiro positivo se deu em cidades do interior do Brasil. Isso confirma o potencial de transformação da 99 na ponta”, observa e conclui Diogo Souto Maior, diretor de Relações Governamentais e Políticas Públicas da 99.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *