Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

03 de December de 2023

BR-040 ganha três passagens suspensas para fauna

A proposta é criar um caminho alternativo para os animais atravessarem a via, reduzindo o risco de acidentes ou interrupções no trânsito.


Por Pauline Machado Publicado 12/01/2023 às 13h30
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Passagens suspensas
As passagens suspensas para a fauna estão na pista de descida da Serra de Petrópolis. Foto: Divulgação.

A CONCER, concessionária que administra a estrada Rio-Juiz de Fora, finalizou no último mês de dezembro a instalação de três passagens suspensas para a fauna na pista de descida da Serra de Petrópolis.

A proposta é criar um caminho alternativo para os animais atravessarem a via, reduzindo o risco de acidentes ou interrupções no trânsito.

Para tanto, dois acessos às “passarelas para animais” – como foram popularmente apelidadas – estão instalados. Dois na altura do km 86 da BR-040, e uma terceira passagem na altura do km 95.  

De acordo com a concessionária, os trechos foram escolhidos estrategicamente por técnicos da CONCER, por serem locais que predominantemente encontram-se preguiças, micos, ouriços e outros animais silvestres da Mata Atlântica da região.

As passagens destinadas aos animais se assemelham a passarelas. Elas são feitas com sisal e madeira de reflorestamento, em que somente a estrutura utilizará cabos de aço encapados. Ou seja, o objetivo é evitar o aquecimento ou desconforto aos animais. A altura é de cinco metros e 50 centímetros – padrão das passarelas da rodovia.

Tecnologia a favor do meio ambiente

A instalação das passagens suspensas é uma das ações do Projeto Caminhos da Fauna, que completou 16 anos em 2022, totalizando quase 800 animais salvos.

A iniciativa abrange o recolhimento de animais silvestres na rodovia e, quando necessário, seu encaminhamento para tratamento em clínicas veterinárias.

Ainda de acordo com a CONCER, devido à descida da Serra de Petrópolis ser uma região que reúne importantes unidades de conservação, como a Área de Proteção Ambiental de Petrópolis (APA) Petrópolis, a Reserva Biológica do Tinguá (Rebio Tinguá) e o Refúgio da Vida Silvestre da Serra da Estrela, os dispositivos contam com equipamentos para monitoramento da fauna. Isso ajudará a coletar dados que possam aprimorar as ações de preservação das espécies. Além disso, para o aumento dessa população na região e redução dos efeitos da presença humana no bioma.

A Concer informou também que realiza atendimento da fauna em consequência de queimadas, espécies apreendidas ou por ser vítimas de acidentes assim como de predadores nas imediações da BR-040 e em áreas de preservação ambiental localizadas ao longo do trecho da rodovia.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *