Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

22 de julho de 2024

Como funciona o câmbio de dupla embreagem?  

Entenda as vantagens e desvantagens do câmbio de dupla embreagem  


Por Accio Comunicação Publicado 30/03/2024 às 13h30
Ouvir: 00:00

Você sabe como funciona o câmbio de dupla embreagem? De acordo com o professor de Engenharia Mecânica da Universidade Positivo, Tulio Paim Horta, o câmbio de dupla embreagem é uma evolução dos sistemas de transmissão.  

Por isso, de acordo com Horta, quando comparado ao câmbio manual e ao automático convencional, o câmbio de dupla embreagem oferece trocas de marcha mais rápidas e suaves. O resultado é uma condução eficiente e um melhor desempenho do veículo.  

“Essas transmissões incorporam tecnologia avançada, como sistemas mecatrônicos eletro-hidráulicos ou eletroeletrônicos para controlar as trocas de marcha de forma precisa e eficiente. Com isso, tornam-se mais adaptáveis e responsivas ao estilo de condução do motorista”, ressalta o professor.  

Inclusive, esse é outro destaque para esse tipo de transmissão: as adaptações em diferentes situações.  

De acordo com Horta, o câmbio de dupla embreagem é capaz de se adaptar rapidamente a diferentes condições de condução. “Com isso, oferece tanto o conforto e conveniência no modo automático quanto a respostas mais engajadas e esportivas da experiência do modo manual”, explica.  

Principal vantagens do câmbio de dupla embreagem  

Zoom na mão de mulher no câmbio de troca marchas
Maior segurança e conforto são algumas das vantagens do câmbio de dupla embreagem. Foto Freepik.

Entre as principais vantagens do câmbio de dupla embreagem, o destaque vai para o controle mais preciso e que gera mais segurança e qualidade na condução do veículo. 

“A capacidade de pré-engatar uma marcha enquanto a outra está em uso ajuda a otimizar o fluxo de potência do motor para as rodas, resultando em uma melhor eficiência de combustível, (redução de 10%)”, destaca Horta.  

Vantagens do câmbio de dupla embreagem em veículos híbridos  

De acordo com o professor, para modelos híbridos, o câmbio de dupla embreagem é uma solução barata e simples, principalmente devido a integração com motores térmico e elétrico.  

“Por haver duas embreagens, há dois ‘‘canais’’ de entrega de torque ao diferencial. Assim é possível ter as duas embreagens mecânicas acopladas (todo o torque vem do motor a combustão). Apenas uma delas (o motor elétrico é acoplado no lugar, gerando torque combinado) ou nenhuma (modo 100% elétrico)”, exemplifica Horta. 

Porém, como nem tudo é perfeito, esse sistema também apresenta algumas desvantagens. 

Desvantagens do câmbio de dupla embreagem 

Talvez o sistema altamente complexo seja também a maior desvantagem do câmbio de dupla embreagem, já que requer manutenção especializada e ferramentas específicas.  

De acordo com o professor Tulio Horta, alguns modelos de carro com câmbio de dupla embreagem enfrentaram problemas de confiabilidade. Entre outras desvantagens estão o desgaste prematuro das embalagens e falhas na unidade mecânica e eletrônica (que pode afetar o sistema híbrido).  

“Veículos equipados com câmbio de dupla embreagem tendem a ter um custo inicial mais elevado do que aqueles com transmissões convencionais, devido a tecnologia avançada envolvida na sua fabricação e instalação”, ressalta o especialista.  

Principais cuidados 

Zoom no painel de veículo, com condutor dirigindo com as duas mãos ao volante
Câmbio de dupla embreagem oferece uma condução eficiente e um melhor desempenho do veículo. Foto: Freepik

De acordo com o professor de Engenharia Mecânica, os maiores cuidados estão na caixa seca. Esse item pode ser susceptível a superaquecimento durante um uso mais intenso, como em condições de tráfego pesado ou reboque de cargas pesadas, por exemplo.  

“Evite situações que exijam um esforço excessivo do câmbio por períodos prolongados”, informa Horta. Outro ponto destacado pelo professor é a intimidade do condutor com as marchas do seu veículo, uma vez que “usar o modo apropriado para cada situação pode ajudar a reduzir o desgaste”.  

Por fim, o condutor deve se atentar as mudanças de marcha bruscas, trepidação (movimento vibratório) durante a aceleração ou ruídos incomuns. Caso identifique sinais como esses é indicado realizar uma inspeção profissional no veículo.  

E aí, você já conhecia esse tipo de transmissão? Conte para nós!

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *