Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

16 de julho de 2024

Mobilidade urbana pós-pandemia: quase metade das pessoas mudaram seus hábitos depois da Covid-19


Por Pauline Machado Publicado 27/04/2022 às 19h05 Atualizado 08/11/2022 às 21h11
Ouvir: 00:00

Pesquisa sobre a mobilidade urbana pós-pandemia mostra a mudança de hábito dos brasileiros. Veja os detalhes!

Uma pesquisa realizada no último mês de maio sobre a mobilidade urbana pós-pandemia, com mais de 2,2 mil participantes, identificou que 45,3% dos brasileiros das cinco regiões do País mudaram seus hábitos de deslocamento desde o início da pandemia causada pela Covid-19.

Desenvolvido pelo NZN Intelligence, em parceria com o Estadão Summit Mobilidade Urbana, o estudo também registrou que 40,2% dos entrevistados intensificaram o uso do carro particular para evitar aglomerações. Além disso, 31,6% passaram a se deslocar mais a pé ou de bicicleta. Isso representa uma considerável recusa ao uso de transporte público por parte dos entrevistados. Destes, 83,5% afirmaram não se sentirem seguros usando esse modal durante a pandemia.

No entanto, ao analisar o deslocamento para ir e voltar do trabalho, o levantamento registrou que apenas 19,4% dos entrevistados disseram ter conseguido aderir ao home office. Já, 42,9% saíram de casa especificamente para trabalhar e 43% se deslocaram ao menos cinco quilômetros para chegar ao trabalho.

Impactos para a população na mobilidade urbana pós-pandemia

Os pesquisadores também identificaram problemas relacionados aos impactos da mobilidade urbana pós-pandemia à população. Nesse sentido, cerca de 36,22% dos participantes consideraram que as calçadas pouco acessíveis podem ser um problema para pessoas portadoras de deficiência física. Já 33,60% dos entrevistados evidenciaram a falta de ciclovias para quem deseja utilizar bicicleta como meio de transporte. E, para 30,49% falta iluminação nas ruas.

Tecnologia e mudanças de hábitos

Por fim, o levantamento constatou, ainda, que o avanço tecnológico como os aplicativos de delivery e mobilidade também contribuíram para que a população adquirisse novos hábitos.

Dentre os participantes, o uso de aplicativos de entregas, por exemplo, aumentou em 38,20% e nos aplicativos de transporte a alta foi de 12%.


Saiba mais

Ainda que a mudança pareça se dar a longo prazo, 32% dos entrevistados disseram que querem andar mais a pé. Enquanto isso, 40,4% afirmaram que continuarão usando aplicativos de entrega.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

1 comentário

  • Fretado é alternativa ao vale-transporte para as empresas | Ticket Log
    17/01/2023 às 15:45

    […] pesquisa realizada pelo NZN Intelligence, em parceria com o Estadão Summit Mobilidade Urbana, mostrou que […]

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *