Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

19 de julho de 2024

Educação no trânsito para ciclistas 

Você sabia que o uso de bikes cresceu 14% no Brasil? A mobilidade urbana tende a aumentar e, com isso, é importante ressaltar os perigos que podem ser evitados nas vias públicas!


Por Accio Comunicação Publicado 25/08/2023 às 13h30
Ouvir: 00:00

Reforçar a educação no trânsito para ciclistas e motoristas é fundamental para que eles possam compartilhar o mesmo espaço das cidades com segurança.

De acordo com a pesquisa realizada na cidade de São Paulo pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o uso de bike aumentou 14% nos dois primeiros meses de 2023, comparado ao ano anterior. 

No entanto, esse aumento veio junto com outra estatística preocupante. Conforme a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), os casos de acidentes no trânsito envolvendo ciclistas aumentou em 11% no Brasil.

Segurança no trânsito  

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), os condutores de carros, motos, caminhões, ônibus e demais veículos devem garantir a segurança de todos, incluindo a dos ciclistas e dos pedestres. 

Da mesma forma, os ciclistas devem obedecer às leis de trânsito, como, por exemplo, parar no sinal vermelho e respeitar os pedestres.

visão de um ciclista na estrada
Foto: Freepik

Como o ciclista deve se comportar no trânsito? 

Para pedalar com segurança, primeiramente é recomendado usar equipamentos de proteção, como luvas e capacete. 

A falta de estrutura nas vias são muitas vezes o motivo de acidentes, por isso, de acordo com o artigo 58 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), quando não houver ciclovia, ciclofaixa ou acostamento, os ciclistas podem pedalar na lateral da via, na mão de direção, com preferência de circulação em relação aos veículos.  

Sinalização nos equipamentos 

Segundo o Código Brasileiro de Trânsito, a sinalização para a bicicleta é obrigatória. Sobretudo, o ciclista deve instalar os itens na dianteira, na traseira e nas laterais da bicicleta, conhecidos como luzes de sinalização. 

Na parte traseira, é recomendado escolher a luz intermitente de cor vermelha. Já na dianteira, deve-se utilizar a luz branca. 

Além disso, o ciclista pode optar por colocar luzes ou fitas reflexivas nos capacetes e braçadeiras para aumentar a segurança. 

visão de um homem andando de bicicleta com capacete
Foto: Freepik

Sinalização nas roupas 

O uso de roupas brilhantes diminui as chances de acidentes no trânsito, assim como contribui para a segurança de modo geral. 

O ciclista pode optar por roupas claras, em cores marcantes e chamativas, assim como coletes reflexivos que podem otimizar ainda mais a sinalização em seu corpo. 

Além disso, o ciclista também pode usar óculos antiofuscantes para reduzir os reflexos gerados pelas luzes externas. 

Pedale com segurança 

Segundo o Código Brasileiro de Trânsito (CTB), a distância lateral de segurança do ciclista é 1,5 m e deve ser mantida pelo veículo que se aproxima ou ultrapassa a bicicleta de forma lateral. 

Ou seja, para evitar acidentes em rodovias e estradas, os condutores de veículos devem respeitar os direitos de quem está circulando com uma bicicleta.  

Da mesma forma, os ciclistas devem sempre pedalar no mesmo sentido dos veículos e nunca na “contramão”, tanto no acostamento quanto na via. 

Além disso, o ciclista deve “se comunicar” com os motoristas. Por exemplo: sinalizar com a mão esquerda em 90° quer dizer que você irá virar à esquerda e, com a sua mão direita, significa que pretende virar à direita. 

Fala-se muito do respeito e dos cuidados que os condutores de veículos motorizados precisam tomar em relação aos ciclistas. No entanto, é necessário que o ciclista também conheça e respeite as normas de trânsito em função da sua própria segurança. No dia a dia no trânsito, no entanto, o que se vê, com frequência, são ciclistas utilizando faixas exclusivas para ônibus, trafegando na contramão de direção e pedalando sobre as calçadas e passeios, que são espaços exclusivos para pedestres.

Mais uma coisa: o CTB, claramente, trata a bicicleta como um veículo e o ciclista com um condutor, portanto, disputando espaço com os demais usuários nas faixas de rolamento. Se isso é verdade, fica aqui a pergunta: como é que o ciclista adquire os conhecimentos necessários a uma convivência segura no trânsito?

Gostou dessas dicas? Deixe a sua opinião nos comentários! 

Veja também no Portal do Trânsito: 

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *