Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

20 de julho de 2024

Órgão americano cria diretrizes contra distração de motoristas com celulares


Por Mariana Czerwonka Publicado 26/11/2016 às 02h00 Atualizado 08/11/2022 às 22h32
Ouvir: 00:00
Distração causada pelo celularSegundo o NHTSA, as fatalidades subiram 10,4% no primeiro semestre de 2016 nos Estados Unidos.

A National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA), entidade responsável por questões de segurança do trânsito nos Estados Unidos, divulgou nessa última semana algumas diretrizes para tratar a distração causada pelos dispositivos eletrônicos móveis.

O objetivo é solicitar aos fabricantes desses aparelhos, que ajudem as pessoas a manter a concentração e os olhos na via ao desenvolver um “modo motorista”, que desabilite algumas funções que podem causar distrações em carros em movimento, mais ou menos como o “modo avião”.

“Essas diretrizes de senso comum, baseadas nas melhores pesquisas disponíveis, ajudarão os projetistas de dispositivos móveis a construir produtos que reduzam a distração na estrada”, afirmou o secretário de Transporte Anthony Foxx em um comunicado de imprensa emitido pela NHTSA.

As diretrizes propostas são projetadas para incentivar os desenvolvedores de dispositivos eletrônicos portáteis a projetar produtos que, quando usados durante a condução, reduzam o potencial de distração do condutor. A NHTSA encoraja, ainda, os fabricantes a implementar funcionalidades como o emparelhamento, para descomplicar o uso do celular sem as mãos.

“A distração do condutor é um dos fatores por trás do aumento de mortes no trânsito, estamos comprometidos em trabalhar com a indústria para garantir que os dispositivos móveis sejam projetados para manter os olhos dos motoristas onde eles devem estar – na estrada”, explicou Foxx.

Segundo a NHTSA, as fatalidades subiram 10,4% no primeiro semestre de 2016 nos Estados Unidos.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *