Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

Veja cinco verificações essenciais para descobrir se seu veículo foi “maquiado”

É necessário ter alguns cuidados que incluem uma avaliação estética abrangente do automóvel.


Por Pauline Machado Publicado 16/02/2024 às 15h00
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Veículo maquiado
Algumas pessoas podem tentar esconder que os carros sofreram alguma avaria e assim vender o veículo “maquiado”. Foto: lacheev para Depositphotos

Antes da compra de um veículo novo ou seminovo é fundamental que os compradores façam a verificação de sua procedência, pois essa sindicância possibilitará definir se a compra em questão será uma boa opção ou um problema. Isso porque, muitas vezes, o veículo pode ter sido “maquiado”.

Portanto, para se resguardar e fazer uma transação livre de contratempos e garantir a integridade do veículo, é necessário ter alguns cuidados que incluem uma avaliação estética abrangente do automóvel, assegura o CEO da InstaCarro, Luca Cafici.

“A segurança e a satisfação dos consumidores devem ser prioridade para os vendedores de veículos. Algumas pessoas podem tentar esconder que os carros sofreram alguma colisão importante, com dano na parte estrutural do veículo, com uma estética, aparentemente, impecável. Para evitar surpresas desagradáveis, incentivamos os compradores a realizarem laudos cautelares antes de concluir qualquer transação”, orienta.

Ele destaca, ainda, que “Na InstaCarro, prezamos por capacitar os consumidores a tomarem decisões informadas e conscientes ao adquirir um veículo usado, contribuindo para um mercado mais seguro e transparente. O serviço de laudo pré-compra que realizamos avalia todos estes itens, bem como o funcionamento do motor e acessórios do veículo, assim, podemos garantir ao cliente um veículo sem possíveis armadilhas, garantindo uma experiência de compra mais tranquila e confiável”, garante Luca Cafici.

Acompanhe, agora, as dicas do executivo para identificar quaisquer reparos podem estar escondidos:

1 – Verificação da pintura:

Examine a pintura sob diferentes ângulos de luz e note se há diferenças de tonalidade de cor ou mesmo de textura.

2 – Alinhamento das peças:

Analise o alinhamento de portas, capô e porta-malas. O vão entre as peças deve ser padrão nelas todas. Desalinhamentos podem indicar que o veículo passou por reparos não documentados. 

3 – Confira o estado das soldas:

Inspecione as soldas nas emendas de chapas, abaixo das borrachas de vedação das portas e também nas áreas críticas do veículo, como nas longarinas. Reparos mal feitos podem apresentar sinais visíveis nessas regiões, como presença de ferrugem ou pontos de solda diferentes na mesma peça.

4 – Sinais de revestimentos e adesivos não originais:

Observe a presença de adesivos ou revestimentos não originais. Eles podem estar ali não para “enfeitar”, mas para esconder imperfeições na pintura, atitude, infelizmente, muito comum entre alguns vendedores.

5 – Análise do interior:

Verifique o interior do veículo em busca de diferenças de cor, textura ou mesmo de cheiros. Volante e painel com aspectos estranhos podem indicar que houve a deflagração do airbag em uma possível colisão ou mesmo de cheiros incomuns, o que é possível indicar que o veículo passou por enchente.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *