Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

13 de julho de 2024

Saiba como fazer seu carro usado valer mais na hora da revenda


Por Talita Inaba Publicado 19/11/2012 às 02h00 Atualizado 08/11/2022 às 23h58
Ouvir: 00:00

Sinistros, quilometragem alta e falta de revisão são os fatores que mais puxam o preço de um carro usado para baixo, mas eles não são os únicos. Bancos com pelos de animais, manchas, marcas de cigarro, personalizações e riscos no painel também estão na lista.

O site WebMotors ouviu alguns de seus lojistas e concessionários para saber o ranking dos 10 maiores inimigos da valorização do carro na hora de vender um usado , e quais atitudes poderiam colaborar para uma boa avaliação. São eles:

1 — Sinistros

2 — Quilometragem alta

3 — Falta de revisões periódicas

4 — Danos na lataria (riscos, retoques, avarias em geral)

5 — Má conservação interna (painel riscado, estofamento rasgado, queimado por cigarro ou manchado; pelos ou cheiro de animais)

6 — Valor elevado do seguro

7 — Custo alto de manutenção

8 — Fim de fabricação ou mudança de modelo

9 — Veículo de leilão

10 — Cores exóticas ou veículo modificado (personalização, kit gás etc)

Mauro Vecchiatti, proprietário da loja Classic Multimarcas, em Londrina (PR), explica como esses problemas podem prejudicar a venda do carro.

— Tudo que demonstre que o veículo teve uso estressado, fora das condições normais — como conservação ruim do interior, que é a parte mais difícil de recondicionar — vai afetar o preço do carro.

Já Pedro Ballalai, diretor do Grupo Fiat Atri do Litoral paulista, diz que cuidados podem evitar que o veículo seja desvalorizado em demasia.

— A limpeza profunda feita na loja para retirar manchas e sujeira acaba desgastando o estofamento e outros itens internos. O mais recomendado é ser zeloso no uso diário.

Além do estado geral do veículo, Sergio Andrei, consultor de vendas da loja Carmax, de Santos (SP), aponta outros aspectos que também pesam.

— A falta de assistência técnica de determinada marca ou modelo na região e veículos de locadora impactam na revenda dos veículos, que são comercializados abaixo do valor de mercado. Riscos na carroceria, sinônimo de prejuízo Se há os fatores que derrubam o preço do carro, há também os que podem contribuir para amenizar a depreciação.

Conseguir um bom preço no usado também depende de você. Veja o que pode ser feito no dia a dia:

1 — Fique atento à direção para evitar batidas ou raladas

2 — Faça o seguro do veículo

3 — Evite rodar com seu carro desnecessariamente (menos desgaste, menos quilometragem)

4 — Faça revisões periódicas de acordo com o sugerido no manual do veículo

5 — Caso transporte seu animal de estimação no carro, proteja os bancos com material apropriado. Há diversas opções no mercado

6 — Limpe manchas e sujeira no estofamento tão logo elas ocorram. Mantenha o interior do carro limpo

7 — Cheque a parte externa do veículo regularmente. Pedras e outras situações podem riscar a lataria. Repará-la com rapidez evita desgastes maiores

8 — Danos causados pelos excrementos de aves são altos. Remova-os assim que seu carro for vítima de fezes de pombos

9 — Evite fumar dentro do carro ou permitir que outros passageiros fumem. Reparar marcas de cigarro não é fácil e custa caro

10 — Mantenha os pneus em bom estado

Fonte: R7.com

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *