Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

23 de julho de 2024

STJ autoriza penhora de bens de motorista que matou no trânsito


Por Mariana Czerwonka Publicado 14/09/2012 às 03h00 Atualizado 09/11/2022 às 00h05
Ouvir: 00:00

3ª Turma do STJ autorizou penhora para garantir pensão à família de vítima. Responsável pela morte de motociclista teve 50% do imóvel penhorado A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorizou a penhora dos bens de motorista que se envolveu em acidente de trânsito que resultou na morte de um motociclista. A penhora visa garantir o pagamento de pensão alimentícia para a mãe da vítima. A decisão foi tomada no dia 4 de setembro e publicada no “Diário de Justiça” desta quinta-feira (13). Já havia precedente no STJ que permitia a penhora de único bem de família para pagamento de pensão, mas a decisão anterior não abordava caso de acidente de trânsito. Em decisão unânime, os cinco ministros da turma determinaram penhora de 50% do imóvel da família do motorista. Em sua argumentação, o ministro Massami Uyeda afirmou que o pagamento de pensão “como hipótese de exceção à impenhorabilidade do bem de família”. Para o magistrado, não importa se a pensão é decorrente de vínculo familiar ou de obrigação de reparar danos. O pedido de penhora foi feito pela mãe do motociclista. A Justiça de Caxias do Sul (RS) condenou o motorista ao pagamento de R$ 2,17 mil referente ao conserto da motocicleta e pagamento de pensão mensal de aproximadamente R$ 110 até o dia em que a vítima completaria 70 anos. A pedido da mãe do motociclista morto, a Justiça de Caxias concedeu a penhora, que foi derrubada pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Em recurso ao STJ, a mãe da vítima alegou que o filho ajudava nas despesas e que, em razão de a natureza da pensão ser alimentícia, para sobrevivência, a legislação brasileira não impede a penhora. Fonte: G1 Notícias

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *