Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

21 de julho de 2024

27 de julho: existe diferença entre ser motoqueiro e ser motociclista?


Por Mariana Czerwonka Publicado 27/07/2016 às 03h00 Atualizado 08/11/2022 às 22h35
Ouvir: 00:00
Dia do motociclistaÉ essencial saber agir corretamente frente às diversas situações do dia a dia.

Segundo o Dicionário Michaelis as duas palavras têm o mesmo significado, pois fazem referência àquele que conduz uma motocicleta. Na prática, porém os dois termos têm interpretações diferentes.

Conforme algumas pesquisas, essa história começou nos anos 80, quando uma revista especializada começou uma campanha para separar aqueles que tinham mau comportamento no trânsito, definindo-os como motoqueiros, daqueles que respeitavam as leis, definindo-os como motociclistas.

De acordo com uma pesquisa de marketing sobre comportamento de consumo dos motociclistas, realizada por alunos da Faculdade UNA de Minas Gerais, a maioria dos usuários de motocicletas considera como ofensa ser chamado de motoqueiro.

A explicação é que os motociclistas utilizam a moto como prazer, hobby, diversão e passeio, além de respeitarem às leis de transito e aos demais usuários que também estão no trânsito como condutores, pedestres e ciclistas.

Já os motoqueiros, que geralmente utilizam suas motos (na maioria das vezes de baixa cilindrada) para trabalhar, quase não respeitam as leis de transito, são encrenqueiros e usam corredores entre os carros para se locomover.

“Não podemos generalizar, muitos motociclistas que exercem atividade remunerada têm um comportamento exemplar no trânsito. Só o fato de utilizar a moto como ferramenta de trabalho não o classifica como um cidadão que desrespeita leis e que não respeita os demais”, explica Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal.

O importante não é a definição do termo, mas o comportamento do piloto. “O comportamento e a postura do usuário da moto estão diretamente ligados a acidentes e incidentes. A prática de boas atitudes tem o poder de reverter esse quadro”, afirma Mariano.

Ainda de acordo com o especialista, é essencial saber agir corretamente frente às diversas situações do dia a dia. “Independente se utiliza a moto a lazer ou a trabalho, é fundamental reconhecer e abandonar maus hábitos e posturas negativas”, esclarece.

Como mudar

Para um melhor convívio no trânsito, o Portal do Trânsito dá uma dica para motociclistas, condutores, ciclistas, motoristas profissionais e pedestres. Os usuários devem fazer uma sincera autoavaliação das próprias atitudes frente às mais diversas situações, e, em seguida, corrigir o que estiver incorreto.

“Apesar de termos uma forte tendência para culpar os outros, é provável que os verdadeiros motivos estejam em nós mesmos”, finaliza Mariano.

 

 

 

Receba as mais lidas da semana por e-mail

1 comentário

  • Walner Mamede
    24/05/2024 às 12:01

    Na verdade, a origem das duas palavras, “motociclista” e “motoqueiro”, é anterior ao uso atribuído na década de 80. Nas décadas de 50-60, com a ascensão do Rock e a moda James Jean e Elvis Presley, elevando a presença das motos na juventude, eles a apelidaram de motoca, em contraposição a motocicleta, considerada uma denominação antiquada, usada pela geração dos pais. Então, motoca era a gíria do momento e, por extensão, “motoqueiros” eram descolados condutores de motocas, envoltos no movimento da Jovem Guarda, ficando o termo “motociclista” reservado aos “coroas”, “antiquados”, “caretas”. Daí a correlação atual de “motoqueiro” com “arruaceiro”, ficando “motociclista” para os “ordeiros”. De minha parte, prefiro a palavra “motoqueiro”, me parece mais condizente com as origens e sentidos do motoclubismo, pois os “descolados da jovem guarda” eram considerados “arruaceiros” apenas pelos “coroas”, qdo, na verdade, o que faziam era se reunir pra confraternizar, ouvindo rock (música de mau grado, na visão dos “coroas”) e bebendo, justamente o que fazemos em nossos encontros, enquanto os “motociclistas” eram aqueles que tinham na moto apenas um meio de condução e não um estilo de vida.🤷🏻‍♂️

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *