Notícias

Notícias

Cresce o número de mulheres motociclistas 

O número de carteiras de habilitação para dirigir motocicletas concedidas às mulheres aumentou 11% de 2011 a 2012, no Paraná. Antes, eram 366 mil motociclistas no estado, agora são 410 mil. Apenas em Londrina, no norte do estado, são 23 mil mulheres habilitadas para dirigir o veículo. Elas representam 36% dos motociclistas da cidade. As motoristas estão deixando o medo de lado e apostando na praticidade e na economia do veículo. “Foi um meio de transporte mais fácil de estar adquirindo e de estar mantendo e, como é só para vir trabalhar, é mais fácil”, contou a auxiliar administrativa Bianca Ferreira, que virou motociclista há um ano. As mulheres se tornaram tão adeptas as duas rodas que há quem decidiu trabalhar com motocicleta. Eliete de Almeida é mototaxista há quatro anos e o fato de ser mulher acabou ajudando na hora de conquistar a clientela. “Alguns homens, quando pegaram pela primeira vez uma mulher dirigindo, ficaram meio assim. Mas, depois que eles viram que a gente pilota bem, ficaram de boa”, afirmou Eliete. Leandro Fernandes é microempresário do setor e cita as qualidades de ter mulher na equipe. “Elas são mais cuidadosas, cuidam certinho da manutenção da moto, são educadas, têm muitas preferências. Tem pessoas que ligam aqui falando que preferem mulher”, afirmou o microempresário. Quando se fala em acidentes, as mulheres também levam vantagem. Dos 1.865 acidentes registrados em Londrina, com moto, no último ano, 1.628 foram com homens. Com mulheres dirigindo foram 237 – 13% do total. Fabiane de Souza foi umas das que acabaram batendo. Ela conta que, logo após o acidente, teve receio de dirigir novamente, mas o medo passou. “A gente tem que prestar atenção no trânsito e ter educação no trânsito, também. Este é o principal fator para que todo mundo trafegue em segurança”, considerou Fabiane. Legislação As roupas das mulheres, com braços e pernas de fora, as deixam mais expostas, em caso de acidente. Além disso, é proibido dirigir com salto alto ou com sandálias rasteiras, que não são presas ao calcanhar. Esses modelos renderam 178 multas em todo o estado, em 2012. Fonte: Globo.com

Artigos Recomendados Para Você

Deixe um comentário

Campos obrigatórios *

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Politica de Privacidade.

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']