Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

26 de fevereiro de 2024

Desenvolvido na Espanha um sistema que detecta a condução agressiva


Por Mariana Czerwonka Publicado 12/01/2015 às 02h00 Atualizado 08/11/2022 às 22h58
 Tempo de leitura estimado: 00:00

Condução agressivaOs acidentes de trânsito em todo o mundo causam 1,3 milhões de mortes e 50 milhões de feridos por ano, sendo a principal causa de morte de jovens entre 15 e 29 anos. As perdas pessoais devem ser adicionados aos enormes custos econômicos por danos materiais e despesas médicas, entre outros, estimadas em cerca de meio bilião de euros anualmente. Setenta por cento desses acidentes estão relacionados com o fator humano e imprudência, resultante da velocidade excessiva ou inadequada.

Induzir novos padrões de condução segura poderá impedir uma percentagem significativa de acidentes e mortes. Uma forma de promover essas mudanças no comportamento dos condutores passa por monitorar a forma como conduzem, detectar situações de condução inadequada e alertá-los a tempo, antes de um provável acidente.

Os primeiros trabalhos de pesquisa desenvolvidos nesta linha abordam o monitoramento por métodos invasivos, monitorizando sinais fisiológicos como o ritmo cardíaco, a respiração e o nível de estresse. Estes métodos, embora eficazes, ainda são indesejáveis porque geram desconforto para o condutor e representam uma causa adicional de distração. A questão é: é possível controlar a condução de forma eficaz com métodos não invasivos que passem despercebidos pelo motorista?

Um grupo de pesquisadores do Departamento de Matemática Aplicada às Tecnologias de Informação e às Comunicações da UPM conseguiu responder positivamente a esta questão. Demonstraram ser possível detectar um comportamento agressivo acompanhando apenas sinais externos da condução tais como a velocidade e aceleração. A chave reside no fato de a agressividade funcionar como um filtro linear sobre estes sinais.

A ideia no futuro é que este sistema de detecção precoce e em tempo real de condução imprudente possa ser integrado em smartphones, contribuindo de forma significativa para aumentar a segurança nas vias.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *