Notícias

Notícias

Dicas para lidar com os engarrafamentos 

Quem mora nas grandes cidades convive com uma dura rotina: horas e horas no trânsito engarrafado, seja no ônibus, na van ou de carro. Segundo dados do IBGE, 23,1% da população do Rio leva mais de uma hora para ir de casa ao trabalho. Essa situação leva a alto grau de estresse. Irritabilidade, aumento dos batimentos cardíacos, dor de cabeça, gastrite nervosa, insônia, retenção muscular, aumento da pressão arterial, diminuição da libido e respiração acelerada são alguns dos problemas que surgem.

“A descarga elevada e contínua de hormônios como adrenalina e cortisol vai minando nossa saúde física e emocional”, alerta o médico Carlos Gil, da Sociedade de Cardiologia do Rio. Alguns casos são tão graves que aparece o transtorno de ansiedade, afirma a psicóloga e terapeuta cognitiva-comportamental, Aline Sardinha: “Para alguns, a irritabilidade e a ansiedade é tão grande que ela acaba perdendo o controle e tendo um ataque de pânico.”

O jeito é mudar a ‘programação’ do corpo para que ele reaja com mais tranquilidade, argumenta a psicóloga Rachel Zausner. Exemplos: fazer um curso ou alguma atividade de lazer antes ou depois do expediente para evitar a hora do rush, fazer academia perto do trabalho, sair mais cedo de casa, experimentar novos itinerários.Outro bom passo rumo ao “controle” do estresse é a prática regular de algum exercício físico. Isso faz com que nosso organismo consiga eliminar impurezas, retomar o fluxo natural de seu funcionamento e relaxar. “Um indivíduo que pratica atividade física pode adquirir uma boa capacidade de minimizar os impactos desagradáveis do trânsito, retardar alguma resposta agressiva mediante um estímulo negativo, ser mais tolerante, menos instintivo. Não temos como nos blindar contra o estresse do trânsito ou qualquer outro estresse, mas podemos minimizar seus efeitos sobre nosso corpo”, diz Marccelo Pereyra, psicólogo e consultor da Associação Brasileira de Educação de Trânsito.

Respirar corretamente ajuda a domar a tensão e relaxar

A psicóloga e terapeuta cognitiva-comportamental Aline Sardinha recomenda atenção especial à respiração. É a melhor forma de relaxar e controlar o estresse no momento em que estamos confinados no trânsito.

Observe sua respiração por alguns segundos. Veja se está muito curta, acelerada ou não.

Procure respirar mais lentamente, enchendo e esvaziando mais os pulmões a cada vez, sem fazer força nem soprar o ar para fora.

Tente dilatar um pouco o abdômen cada vez que o ar entrar e relaxá-lo enquanto o ar sai.

Treine por alguns dias, dois minutos por dia. Quando perceber que está conseguindo levar o ar mais para a barriga e que o seu peito se movimenta muito pouco, passe à etapa seguinte: inspire contando até dois e solte o ar contando até quatro, bem devagar.

Se sentir falta de ar ou desconforto, solte o ar em três tempos. Com o tempo, vai ficando mais fácil.

Dicas de ‘sobrevivência’ no trânsito

Tente evitar a hora do rush. Faça um curso, uma academia, vá a museus, centros culturais, cinema. Enfim, faça alguma atividade perto do trabalho e vá um pouco mais tarde para casa.

Ouça músicas tranquilas e em volume baixo. Se estiver em transporte coletivo, use fones. Ou, então, aproveite para ler. Mas se sentir enjoo e dor de cabeça, pare imediatamente.

Se você tem pressão alta, evite segurar a barra no teto do ônibus. Prefira a alça do banco. Assim, seu corpo fará menos pressão para circular bem o sangue.

Se costuma pegar ônibus quente e cheio, opte por roupa leve e coloque o paletó no braço. Se pega aqueles ônibus com ar condicionado congelante, leve casaco na bolsa. O importante é fazer uma viagem a mais confortável possível.

Se você é o motorista, não adianta buzinar toda hora e nem xingar os outros. Isso só vai lhe irritar mais ainda e o pior, irritar os outros. Evite situações de conflito.

Faça exercícios físicos regularmente. Eles ajudam seu organismo a eliminar o estresse do dia a dia e ainda deixam você em forma.

Fonte: O Dia

Artigos Recomendados Para Você

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *