Trending News

Notícias

Notícias

Efetivo de fiscalização da PRF em SC é o mesmo desde 1996 

PRF em SCQuadro disponível é de 400 policiais, mas tráfego quadruplicou em 17 anos. Para a temporada de verão, PRF acredita que situação será “muito ruim”

Filas, congestionamentos, acidentes de trânsito. A situação das estradas catarinenses está cada vez mais complicada, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Para a operação da temporada de verão, que começa dia 16 de dezembro, a expectativa é de que o tráfego triplique em alguns períodos. Apesar de todo o efetivo disponível ser deslocado para trabalhar na segurança e fiscalização das estradas neste período, ele é o mesmo desde o ano de 1996. A afirmação é do chefe do núcleo de comunicação (Nucom) da PRF Santa Catarina, Luiz Graziano.

Cerca de 400 policiais atuam na fiscalização das estradas federais catarinenses. “O ideal seriam pelo menos mil policiais”, indica Graziano. Apesar de o quadro funcional da PRF em 2013 ser o mesmo de 17 anos atrás, o fluxo de veículos é quatro vezes maior. Em 1996 circulavam pelas estradas catarinenses cerca de 1 milhão, hoje, são 4,3 milhões, conforme o chefe do Nucom. Por ano, são emplacados cerca de 240 mil novos veículos no estado.

A falta de efetivo suficiente, aliado à alta concentração de veículos na alta temporada de verão, faz com que a expectativa para os próximos meses não seja animadora. “A expectativa é muito ruim. Esse feriado [Proclamação da República] mostrou o que Santa Catarina deve receber de turistas no verão e as pessoas estão vindo de automóvel”, explica Graziano.

Entre quinta (14) e segunda-feira (18), ocorreram 222 acidentes, número menor do que nos anos anteriores. Foram flagrados 13.601 veículos com excesso de velocidade.

Graziano comenta que apesar de não serem registrados filas e congestionamentos recordes, eles se estenderam por um período muito maior do que em outros feriados. “As filas começaram quinta-feira após as 12h e terminaram sexta por volta das 18h. Na volta, elas iniciaram na manhã de domingo e às 20h de segunda ainda havia congestionamento em alguns trechos”, destaca o chefe do Nucom.

Segundo Graziano os pontos mais críticos foram nas regiões de Garuva e Laguna. No Norte, por volta das 8h30 de segunda, a PRF informou que o trânsito seguia muito lento em um trecho de 50 quilômetros. Neste ponto houve filas, trânsito parado, ao longo de 27 quilômetros na volta para casa. Em Laguna, no Sul, foram registrados até 22 quilômetros de filas. “Santa Catarina é o destino de paranaenses, gaúchos, e pessoas do interior do estado onde não há praias. É um destino turístico muito frequentado”, analisa Graziano.

Medidas para o final de ano

A partir do dia 16 de dezembro, a Polícia Rodoviária Federal começará a operação de verão. Para este período, especialmente, nas festas de fim de ano, todo o efetivo estará trabalhando. Não haverá policiais de férias e serão feitas escalas para ampliar a fiscalização e a segurança em todas as rodovias federais. “Não é um problema só daqui, como a Oktoberfest, quando é possível destacar policiais de outros estados, mas é em todo país. Por isso, vamos tentar empregar todo nosso efetivo”, informa Graziano.

Apesar disso, a BR-101 está entre as que exigem maior atenção. Ela recebe 45% dos veículos que trafegam pelas rodovias federais catarinenses. A região de Laguna, no Sul do estado, Garuva, no Norte, Blumenau, no Vale do Itajaí, Balneário Camboriú, Morro dos Cavalos e Grande Florianópolis são os trechos da rodovia que historicamente apresentam maiores problemas nestas épocas do ano. O grande fluxo de visitantes que tentam acessar o litoral transformam essas regiões em pontos críticos. Outros pontos que exigem atenção são a BR-280 em São Francisco do Sul, a BR-282, por causa da gravidade dos acidentes que ocorrem ali, e a BR-470, na região de Blumenau .

“Às vezes você tem um problema que causa fila de 10 quilômetros. Depois que o trânsito é totalmente liberado, o último da fila leva quase meia hora para começar a andar novamente”, exemplifica Graziano. Ele destaca que os dias em que se prevê o maior movimento devem ser 26 de dezembro e o primeiro domingo de 2014, no dia 5 de janeiro. “É quando as pessoas encerram o Natal e vão para as praias e depois quando voltam para casa, porque o Ano Novo cairá numa quarta-feira e muita gente emenda”.

Obras

Para tentar diminuir as filas no final de ano, a PRF acordou com as empresas responsáveis por obras nas rodovias a pararem os trabalhos a partir do dia 16 de novembro. Só será mantido o que é emergencial ou necessite de continuidade imediata.

Fonte: G1 Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *