Notícias

Notícias

Escapamento em boas condições garante o controle de poluentes 

É preciso ficar atento à manutenção do escapamento, componente essencial para garantir a performance do motor, pois avarias podem interferir na saúde das pessoas, elevar o nível de emissão de poluentes e, inclusive, aumentar o consumo de combustível

Durante o inverno, há mais concentração de poluentes na atmosfera devido ao clima mais seco, por isso, o motorista deve ficar atento ao sistema de exaustão do seu veículo. Item verificado na Inspeção Ambiental Veicular realizada na cidade de São Paulo-SP, o sistema de exaustão, composto por coletor ou tubo motor, catalisador, tubos flexíveis, silenciosos intermediário e traseiro, tem como finalidade direcionar os gases para a parte traseira do veículo, atenuar o nível de ruído emitido pelo funcionamento do motor e transformar os gases nocivos emitidos em gases inertes, exercendo importante função para não prejudicar a saúde das pessoas. “O sistema de exaustão tem papel relevante na transformação química dos gases nocivos em gases inertes e na atenuação de ruídos”, afirma Henry Grosskopf, gerente de engenharia de produtos da Tuper Escapamentos e Catalisadores.

Segundo Grosskopf, a falta de manutenção do escapamento pode provocar vários problemas no veículo, como corrosões na carroceria do carro, ruído excessivo e excesso de poluição, além do risco de aplicação de multas e aumento do consumo de combustível. Por isso, a recomendação é ficar atento a alguns sinais que podem indicar desgaste no sistema de exaustão. “Ruído no escapamento pode ser sinal de catalisador quebrado, silenciosos furados ou má fixação dos componentes”, comenta.

Ele lembra que na hora de fazer a manutenção o escapamento deve ser fixado sempre na posição idêntica ao original. “Tem somente uma posição ideal para que não fique baixo e encoste em obstáculos”, disse o gerente de engenharia de produtos, ressaltando também que os componentes do escapamento devem ser fixados de forma correta para que não fiquem balançando. “Sempre com abraçadeiras adequadas ao tamanho das bolsas de encaixe. Deve-se respeitar os tamanhos originais de anéis de vedação e utilizar coxins adequados a cada modelo de escapamento”, diz Grosskopf.


Artigos Recomendados Para Você

Deixe um comentário

Campos obrigatórios *

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Politica de Privacidade.

Trocar a senha

Identifique-se para receber um e-mail com as instruções de nova senha.

[wp_user active='forgot']