Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

25 de fevereiro de 2024

Exigências para renovação da CNH aumentam para os idosos


Por Mariana Czerwonka Publicado 01/10/2012 às 03h00 Atualizado 09/11/2022 às 00h03
 Tempo de leitura estimado: 00:00

É comemorado nesta segunda-feira (1º) o Dia Nacional do Idoso. Desde 2006, com a criação do Estatuto do Idoso, a data ficou definida para celebrar a vida das pessoas com mais de 60 anos.

Entretanto, apesar da melhoria da qualidade de vida para os idosos, quando a idade avança, algumas dificuldades também aumentam para estas pessoas em várias atividades, como, por exemplo, dirigir.

A exigência para tirar ou renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH)  também aumenta. Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), cerca de 13 milhões de pessoas com mais de 61 anos são habilitadas no país.

Em Minas Gerais, dos 2,5 milhões de condutores habilitados, mais de dois milhões estão acima de 40 anos.

O aposentado Gabriel Onofre Marques tem 81 anos e acaba de renovar a carteira. Com a experiência de quem dirige quase todos os dias há mais de 60 anos, ele reconhece que o trânsito não é mais o mesmo em São Sebastião do Paraíso (MG). “O trânsito antes era mais tranquilo, hoje está muito tumultuado. Antigamente não existiam tantos carros”, conta.

Tanto que, a pedido da família, ele não dirige em rodovias, apenas dentro da cidade. “Eu rodo pelas principais ruas tranquilamente, sempre de olho na sinalização e no movimento dos carros e pedestres. Apesar de ter algumas limitações, eu me sinto apto para dirigir, tenho confiança e consciência”, acrescenta.

Nas ruas é fácil encontrar idosos ao volante, mas a partir dos 65 anos as regras para renovar a CNH ficam mais severas. Quem explica isso é o gerente de uma auto-escola, Alceu Guimarães. “O período para renovação passa de cinco para três anos, de acordo com a validade do exame médico”, comenta.

Para o médico responsável pelos exames feitos nos motoristas, Rodrigo Cassimiro, a idade pode ser um agravante. “O idoso fica com a visão comprometida, muitas vezes e isso em decorrência da cidade, o que pode afetar o rendimento do condutor”, pontua.

Ainda de acordo com o médico, se o motorista apresentar limitações de saúde, a permissão para dirigir passa a ter regras exclusivas. “O limite pode ser abaixo de três anos para renovação e o idoso pode ter horários específicos para dirigir, somente antes do pôr-do-sol”, explica.

De acordo com as clínicas credenciadas junto ao Detran, a cada cinco candidatos a renovação da CNH, pelo menos um está acima dos 65 anos.

Contudo, para a população, dividir o trânsito com idosos pode ser algo incômodo. O agente de segurança Edson Gaspar comenta a presença de pessoas com mais de 60 anos atrás do volante. “Eu sempre tomo cuidado”, diz.

Já o comerciante Celso Dias não aprova. “Eu não gosto de idosos no trânsito, eles são lerdos, atrapalham, fazem muita confusão”, dispara.

Já o taxista Itamar Bonfim,de 70 anos, contesta as opiniões. “Eu dirijo há 42 anos e nunca me envolvi em acidentes, mas daqui a alguns anos, quando eu achar que não tenho mais condições de dirigir, vou parar e começar a pescar”, frisa.

FONTE: G1

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *