Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

16 de julho de 2024

Pela primeira vez desde 2001, Fortaleza registra menos de 100 mortes no trânsito nos oito primeiros meses do ano


Por Assessoria de Imprensa Publicado 13/09/2022 às 21h30 Atualizado 08/11/2022 às 21h04
Ouvir: 00:00

Levantamento da AMC aponta redução de 62,5% de mortes nas vias, o menor índice para o período na série histórica iniciada há 21 anos.

Fortaleza registrou, de janeiro a agosto deste ano, 95 mortes por acidentes de trânsito. É a primeira vez, em 21 anos, que esse número fica abaixo de 100. O resultado histórico confirma a eficácia de políticas públicas de mobilidade implementadas pela Prefeitura de Fortaleza nos últimos anos para uma maior segurança viária.

Se comparado com as 255 mortes registradas no trânsito da Capital em 2001, quando teve início a série histórica, o número é inferior 62,5%. Já em relação ao mesmo período do ano passado, a redução foi de 26,4%.

Os motociclistas lideram a quantidade de mortes com 55% dos casos, seguindo por pedestres (37%), ciclistas (4%) e ocupantes de automóvel (4%).

“A análise dos dados norteia a tomada de decisões nas áreas de engenharia, fiscalização preventiva assim como educação para o trânsito. Assim, focamos as ações para os públicos que mais se envolvem em sinistros e, consequentemente, são os mais lesionados e perdem a vida”, destaca o superintendente da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), Antônio Ferreira Silva.

Conscientização no trânsito para reduzir mortes no trânsito de Fortaleza

Para incentivar uma conduta segura por todos que compartilham o trânsito bem como aumentar a segurança viária, os principais meios de comunicação veiculam campanhas da AMC sobre os riscos de beber e dirigir ao longo deste mês. Nos próximos dias, o uso do celular ao volante será o foco de uma nova ação.

Já nas redes sociais do órgão, o influencer Rodrigo Mussi protagoniza uma série de episódios sobre o respeito às normas de circulação viária, como obediência aos limites de velocidade assim como o uso do cinto de segurança. Em março deste ano, o modelo ficou em estado de saúde crítico após grave acidente. Ele não utilizava o cinto no banco traseiro. Conforme a Organização Mundial da Saúde, o uso do item no banco de trás pode reduzir em 75% a probabilidade de morte em sinistros de trânsito.

Trânsito menos violento há sete anos consecutivos

Fortaleza está no caminho para chegar ao oitavo ano seguido de redução de mortes no trânsito. Ou seja, em 2021, a Capital registrou 184 mortes registradas nas vias da cidade ou uma taxa de mortalidade de 6,8 para cada 100 mil habitantes. O número é 51% menor em relação ao ano de 2014, que contabilizou 377.

 

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *